Portal Melhores Amigos | Por que seu gato pede a sua comida o tempo todo?
3271
single,single-post,postid-3271,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Por que seu gato pede a sua comida o tempo todo?

cat-animal-eyes-grey-54632

25 out Por que seu gato pede a sua comida o tempo todo?

Você está fazendo uma refeição tranquilamente e, de repente, seu gato pula na mesa, no seu colo ou vai direto saber o que tem no seu prato. Será que isso é saudável? Há formas de prevenir essa obsessão pela comida dos humanos? Se isso vem acontecendo na sua casa, pode ser sinal de um problema de saúde ou de alimentação inadequada, mas também pode ter origem emocional.

 

Segundo o adestrador e estudante de Medicina veterináriA Ricardo Zanini, o correto é que o gato tenha horários regulares para se alimentar, coma de cinco a seis vezes por dia em pequenas quantidades. Caso você esteja fora de casa na maior parte do tempo, deixe alimentação do dia em um pote e assegure-se que de que não há outros tipos de alimento ao alcance do animal.

 

“Não se deve alimentar o gato na hora em que você está à mesa comendo para não criar o hábito dele comer alimentos que não fazem parte da sua dieta, especialmente os prejudiciais, como uva, chocolate, frutas cítricas, alho, cebola, abacate e comidas gordurosas”, diz o adestrador.

 

Se mesmo alimentado corretamente a obsessão por comida continuar, o tutor precisa ficar atento ao motivo da fome do animal. Ricardo Zanini explica que, em geral, as principais causas são: alimento de baixa qualidade (que não atende às necessidades nutricionais do felino), fatores emocionais ou doenças que podem gerar aumento de apetite. “Por isso, é muito importante levar o seu gato ao veterinário, para verificar se ele tem problemas digestivos, hipertiroidismo, diabetes, síndrome de cushing, entre outros problemas”, explica.

 

Caso o médico-veterinário descarte problemas relacionados à desnutrição e a doenças que afetam o apetite do animal, Zanini afirma que vale a pena observar se o comportamento do seu pet tem fundo emocional. “Nesse caso, passe mais tempo com o seu gato, faça carinhos, afagos, massagens suaves em seu corpo e use brinquedos próprios para interagir com ele”, recomenda o adestrador.

 

Ele destaca ainda que é importante investir no enriquecimento ambiental, para que o felino tenha o que fazer quando você não estiver em casa. “Hoje em dia, é possível encontrar vários brinquedos interativos nos pets shops, como arranhadores e prateleiras para as paredes (já que eles adoram ficar no alto), mas também vale deixar caixas de papelão pela casa, porque eles adoram ambientes pequenos e fechados, pois fazem com que se sintam mais protegidos”, diz Zanini. Além disso, terapias alternativas, como a homeopatia, podem ajudar esses animais.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.