Portal Melhores Amigos | O que fazer ao decidir ter um cãozinho
3765
single,single-post,postid-3765,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

O que fazer ao decidir ter um cãozinho

puppy-1207816_1920

05 set O que fazer ao decidir ter um cãozinho

A decisão de ter um cãozinho na família é motivo de muita alegria e empolgação! Algumas pessoas decidem adotar um filhote, enquanto outras preferem adquiri-lo em uma loja. Quem opta pela adoção, em geral, está auxiliando um animal abandonado e precisa arcar com muitos custos, como castração, vacinação e, em muitos casos, antipulgas e remédios para combater doenças previamente existentes. É um lindo ato de amor, pelo qual o tutor se responsabiliza por um pet negligenciado.

 

Há famílias que decidem comprar um filhote com pedigree. Neste caso, recomenda-se tomar algumas precauções para ter certeza da procedência do animal, do local onde ele será adquirido e quais os principais fatores a serem considerados. Lembre-se sempre que ao adotar ou comprar, o mais importante é ser responsável e dar todo o carinho e suporte financeiro ao seu pet.

 

Para esclarecer algumas questões, conversamos com o médico-veterinário e dono do Golden Friend Forever Kennel, Nelson Ladogano, que há mais de 20 anos cria a raça Golden Retriever. A primeira e mais importante atitude a ser tomada, segundo Nelson, é visitar o canil onde se pretende adquirir o filhote. “É lá que você vai conhecer a procedência do seu futuro filhote, os donos, ver a higiene do local, o cuidado com a saúde dos cães, como são tratados e conseguir tomar a decisão final”, explica. Além disso, o canil deve sempre estar aberto a tirar todas as suas dúvidas, fornecer todas as informações e orientar a família sobre a indicação da raça adequada.

 

Os cuidados com os pais dos filhotes são fundamentais para a boa saúde da ninhada e isso deve ser observado com muito rigor. Além disso, maus tratos a animais também é crime. Só adquira filhotes de canis que tenham preocupação com o bem-estar dos pets.

 

Os cães devem passar por testes de saúde para doenças genéticas de acordo com cada raça para garantir que estão aptos à reprodução. “A alimentação deve ser da melhor qualidade possível com ração, no mínimo, super premium”, pontua Nelson. O canil deve ainda oferecer abrigo adequado aos pais e filhotes, com espaço para atividade física e recreação. Alguns cuidados como suporte veterinário 24h e maternidade são pontos extremamente relevantes para a saúde dos cãezinhos.

 

Preste atenção aos procedimentos que o canil adota para entregar o seu filhote. Nelson defende que os filhotes nunca devem ser entregues com menos de 60 dias. “Neste período é super importante o contato com os irmãos, o laço com a mãe, e o ganho de anticorpos, já que ainda estão mamando”, afirma. Neste prazo, também já é possível receber o cãozinho com a segunda dose de vacina polivalente e vermifugado. O pedigree também deve ser exigido, e canis sérios vendem os filhotes com contrato de castração. A medida é para evitar acasalamentos errôneos e proliferar doenças geneticamente transmissíveis. Criação é para quem estuda e tem estrutura.

 

Nelson alerta ainda que nunca se deve comprar um filhote pela internet, sem visitar o canil. “Você pode ser enganado! Infelizmente não há nenhum órgão que regulamente a criação e venda de cães. Consequentemente, não existem sites confiáveis para se comprar filhotes. A única maneira segura de adquirir um cão é visitando o canil” ressalta. Algumas pessoas que se dizem criadores chegam a usar fotos do GFF Kennel para postar em sites e redes sociais, para vender filhotes sem procedência e sem garantias. “Muitas pessoas compram pela internet, sem ver, e isso se torna um problema depois”, avisa Nelson.

 

Criação de cães não é algo simples e a reprodução deve ser feita apenas por quem entende do assunto. Lembre-se sempre de colocar a saúde e felicidade dos animais acima de tudo.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.