Portal Melhores Amigos | O que você precisa saber antes de ter um Ferret em casa
2175
single,single-post,postid-2175,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

O que você precisa saber antes de ter um Ferret em casa

ferrent furão

17 out O que você precisa saber antes de ter um Ferret em casa

Eles são espertos, curiosos, parecem ter saído de um desenho animado e são muito bonitinhos. Mas, como é ter um Ferret em casa? Antes de decidir morar junto a um destes animais da família dos furões, é necessário saber algumas coisas.

“Os Ferrets são um tipo de animal doméstico, importado e comercializado no Brasil. A grande maioria vem dos Estados Unidos”, explica o médico veterinário e especialista em animais silvestres José Manuel Mouriño, diretor clínico da PetPlace. “Animais mansos e bem adaptados à vida dentro de casa, os Ferrets são muito inteligentes e aprendem rapidamente. Contudo, são difíceis de adestrar, pois também são  bastante teimosos e independentes. Interagem de forma muito parecida com os gatos.”

É comum chamar o animal de furão, no entanto, o termo é usado para designar diversos animais da mesma família, os mustelídeos, na qual se inclui o Ferret. No entanto, entra no mesmo grupo “primos” selvagens e silvestres que não devem ser comercializados nem criados em casa. Infelizmente, não são animais de vida muito longa, e chegam à idade avançada aos quatro anos, vivendo geralmente até os seis anos de idade.

O preço de um animal pode chegar a R$ 3 mil, e o custo das vacinas é semelhante ao normalmente cobrado por aplicações em cães e gatos. Para Mouriño, o maior custo de manutenção dos Ferrets é sua ração. “Eles comem muito para o seu tamanho, e uma ração de qualidade pode ter um preço elevado [em média, até 11 vezes mais cara que uma ração premium canina, por exemplo]. Mas não devemos alimentá-los com ração para gatos ou cães. Se a ideia for oferecer ao animal alimento natural, é importante procurar um veterinário nutricionista para elencar possíveis substitutos.”

Hábitos e cuidados

Os Ferrets são muito curiosos e espertos, podendo entrar em buracos e frestas que encontrarem pela casa. Por isso, não devem ficar soltos, e sim mantidos em gaiolas próprias para a espécie. Quando soltos, devem sempre ser supervisionados. “Fora da gaiola podem comer o que não deve, serem pisados ou até cair pela janela de um prédio. Objetos pequenos com textura de borracha podem ser mastigados e engolidos. Objetos maiores, que podem cair sobre os animais, devem ser removidos e portas e janelas devem estar sempre fechadas. Dentro da gaiola, adoram dormir em redes ou dentro de panos, por isso, mangas de blusas velhas são ótimos substitutos para o que seria uma ‘caminha’. A gaiola deve possuir também um comedouro e bebedouro, e uma vasilha sanitária para fezes e urina.”

O veterinário explica também que banhos não são fundamentais, mas é importante escovar o pelo do animal. “Serve de medida dar banhos sempre que o odor estiver muito forte, ou quando estiverem muito sujos”, esclarece o veterinário que adverte para aqueles que já possuem outros animais em casa: animais muito pequenos, como aves, pequenos répteis e roedores, podem ser predados em uma brincadeira mais agressiva. Cães muito grandes também podem machucar os Ferrets. “Vale sempre bom senso e muita observação.”

Agora que você tem mais informações, a decisão de ter esse bichinho em seu lar ficou mais fácil, não é mesmo?

Por André Spera
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.