Portal Melhores Amigos | O que são as raças “micro” e de onde elas vêm?
1038
single,single-post,postid-1038,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

O que são as raças “micro” e de onde elas vêm?

cachorro_micro

16 nov O que são as raças “micro” e de onde elas vêm?

Você já deve ter visto ou ouvido falar dos cães chamados “micro”. Essa nomenclatura, geralmente, refere-se a Poodles, Yorkshires, Shih tzus e outras raças caninas que possuem um tamanho bem menor do que seus padrões oficiais.

Não estamos falando aqui de cães de pequeno porte, mas sim, de raças que foram criadas com o intuito de serem cachorros em miniatura – e isso pode não ser tão incrível quanto parece ser.

“As raças micro são uma variação das raças conhecidas, porém, não há nada oficial em relação a elas. Os termos ‘micro’, ‘miniatura’, ‘zero’ e ‘anão’ são denominações usadas por criadores na hora da venda dos filhotes”, explica Miguel Ziegler, médico veterinário da clínica Stetic Dogs, de São Paulo.

Apesar de não existirem padrões oficializados, geralmente, os cães classificados como miniatura possuem massa corporal muito abaixo do peso médio oficial de cada raça. Por exemplo, um yorkshire “normal” pode pesar entre 2,5 kg a 3,5 kg, no entanto, sua versão “zero” não deve ultrapassar os 1,5 kg de massa – o que seria o peso de um gatinho com apenas alguns meses de vida.

Esteticamente falando, os cães em miniatura são verdadeiros bibelôs para lá de fofos. Porém, esse lance de brincar de “querida, encolhi os cães” pode acarretar alguns problemas de saúde para os cachorrinhos. “Como esses cães vêm de cruzamento, muitas vezes, entre parentes e de um mesmo canil, as doenças genéticas são as mais frequentes, variando conforme a raça”, alerta Dr. Miguel.

Além de terem a estrutura física mais frágil, os “microcães” têm maior tendência a desenvolver doenças como a epilepsia. Também não é recomendado cruzar fêmeas de porte miniaturizado, já que elas podem apresentar dificuldades na gestação e, principalmente, na hora do parto.

Portanto, antes de adquirir um animal deste tipo, informe-se com um médico veterinário para poder cuidar do seu pet com todo o cuidado que ele merece.

 

 

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.