Portal Melhores Amigos | Estresse térmico em roedores: como evitar?
2766
single,single-post,postid-2766,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Estresse térmico em roedores: como evitar?

roedores-calor_DOMINIO-PUBLICO3

18 abr Estresse térmico em roedores: como evitar?

O estresse pelo calor pode acometer todos os animais. Mas bichinhos como chinchila, coelhos, hamster e hamster chinês são especialmente sensíveis a altas temperaturas. Em um país tropical como o Brasil devemos tomar alguns cuidados para que nossos animais não sofram.

Segundo o médico-veterinário Thiago Rodrigo Salvador, da Clínica Veterinária Estação Zoo, o estresse térmico ocorre quando o animal não suporta o calor ambiente, por conta de um aumento brusco de temperatura. Pouca ventilação e alta umidade também pioram este quadro. “Neste verão, a temperatura chegou aos 30º C. Ele começa a ficar prostrado e quieto, não consegue se locomover direito. Pode ter convulsão, desmaio, ou mesmo morte súbita por conta do calor. A chinchila, por exemplo, tem como habitat natural os Andes.”, explica.

Os principais fatores para o desencadeamento do estresse pelo calor são uma temperatura acima de 28ºC, umidade elevada acima de 70%, animais com espessa cobertura de pelos, obesidade, incidência direta de raios solares, ventilação insuficiente, água em quantidade insuficiente ou aquecida, superpopulação e estresse psicológico. Caso seu animal apresente respiração acelerada, mucosas congestas (mais vermelhas), vasos das orelhas dilatados visivelmente e saliva pegajosa, resfrie-o e leve a um médico-veterinário que atenda animais silvestres imediatamente.

Os coelhos estressados pelo calor comem e crescem menos. Além disso, dependendo do tempo de exposição, os machos tornam-se estéreis. Porquinhos da Índia podem desenvolver estresse pelo calor mesmo em temperaturas não tão elevadas (21 a 23,8ºC).

Para resolver o problema, ventiladores e ar-condicionado podem ser ótimos aliados na hora de minimizar o desconforto destes animaizinhos. “É como o ser humano. É preciso deixar o ambiente climatizado. Se você colocar um climatizador que solta um ar gelado em cima do animal, vai fazer mal. O correto é tentar manter estes animais em locais sem uma temperatura muito quente. Se naquele local bater sol, eles precisam ter um abrigo”, diz o especialista.

Thiago dá dicas bacanas para ajudar a refrescar seu pet. “Para evitar problemas, coloque a gaiola ou cercado em uma área mais fresca da casa. Providencie fontes de resfriamento como ventilador, garrafas com água congelada ou gelos recicláveis, envoltos por um pano. Assim seu animal passará a primavera e o verão com mais conforto”, diz.

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.