Portal Melhores Amigos | Coprofagia: o que fazer quando seu cachorro come as próprias fezes
894
single,single-post,postid-894,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Coprofagia: o que fazer quando seu cachorro come as próprias fezes

coprogagia_caos

05 out Coprofagia: o que fazer quando seu cachorro come as próprias fezes

Se existe um ato canino que pode ser considerado o mais desagradável entre os desagradáveis é o ato de ingerir as próprias fezes. Sem sombra de dúvida. Mas, para entender e tratar este problema, é preciso compreender quais são suas possíveis causas e estar preparado para mudar até mesmo os comportamentos humanos.

“A coprofagia pode acontecer por diversas razões. Pode ser, por exemplo, por imitação: a fêmea, quando tem os filhotes, come as fezes deles para manter o ambiente limpo e, o filhote, ao presenciar este comportamento, pode imitar, ou quando ele convive com um cão mais velho, que já tenha este hábito, para chamar a atenção do tutor ou por algum problema na absorção dos nutrientes do alimento”, explica Sheila Aparecida Leme Gonçalez, adestradora da equipe Cão Cidadão, empresa especializada em adestramento em domicílio e em consultas de comportamento animal, que atua em diversas regiões do Brasil.

Além disso, a coprofagia pode ocorrer devido a alguma disfunção digestiva ou por “falha” humana. “Outras causas deste comportamento podem ser verminose ou algum problema no aparelho digestivo. Também há a chance de ser uma falha de comunicação entre o tutor e o cão. Por exemplo, ao dar uma bronca no cãozinho quando ele está fazendo as necessidades, o dono pode estar incentivando a coprofagia. Isso porque o animal pode começar a comer as fezes para ‘escondê-las’, pois ele associou a bronca recebida ao fato de ele se ‘aliviar’”, complementa Sheila.

Tratando o problema

Como as causas podem ser variadas, é imprescindível levar o cão a uma consulta veterinária para descartar a verminose e outros problemas de saúde. Feito isto, “a mudança de hábito tem que começar com o tutor. Por exemplo, caso o cão faça as necessidades no local errado ou o dono presenciar o animal comendo as fezes, o ideal é não dar broncas, pois o cão não vai entender nada e isso só vai piorar o comportamento”, adverte a adestradora.

Nada como paciência e um bom condicionamento de comportamento para educar seu cãozinho. Sheila recomenda que o tutor “ensine o cão a fazer as necessidades no local correto, sendo que estes treinos devem ser feitos com a utilização de recompensas bem gostosas para que o animal aprenda o local correto e que fazer as necessidades na frente do tutor tem uma consequência deliciosa”, explica.

E depois que o cão fizer o cocô no lugar certo, o que devemos fazer?

Segundo a adestradora, “quando o cão fizer as necessidades, você deve atrair ele para outro local, oferecendo petiscos. Neste momento, jogue spray amargo (produto específico para pets, vendido em pet shops) para as fezes ficarem desagradáveis. Quando for tirar as fezes, recolha-as longe da visão do cão, sem alardes. Assim, ele não será instigado a competir com o tutor pelas fezes – pois isso pode virar uma competição de quem pega primeiro. Além disso, também podemos levar o cão para passear após ele se aliviar”, orienta.

Viu como um pouco de paciência e orientação mostram que a coprofagia não é um bicho de sete cabeças?

 

 

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.