Portal Melhores Amigos | Como os gatos enxergam seus tutores humanos?
Dentre as várias teorias propostas pelos principais pesquisadores da área, a visão mais adotada é a de que nós (humanos) seríamos uma espécie de animal gigante, um gato maior provedor de recursos e proteção.
1519
single,single-post,postid-1519,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Como os gatos enxergam seus tutores humanos?

gato tutor amor

05 mai Como os gatos enxergam seus tutores humanos?

A relação de parceria entre humanos e felinos tem mais de nove mil anos de história – apesar dos gatos terem se tornado pets há bem menos tempo que os cães. Por estas e outras, os bichanos não têm a mesma percepção que os cachorros têm sobre nós.

John Bradshaw, um expert em comportamento animal da Universidade de Bristol, nos EUA, afirma que nossos amigos caninos nos veem como seres bem distintos dos cães. Para comprovar esta premissa, basta comparar a forma com que os cachorros brincam entre si e a maneira que brincam com humanos – são completamente diferentes.

Já os gatinhos nos enxergam como seres grandalhões, mas não tão diferentes assim dos próprios felinos…

“Dentre as várias teorias propostas pelos principais pesquisadores da área, a visão mais adotada é a de que nós (humanos) seríamos uma espécie de animal gigante, um gato maior provedor de recursos e proteção. Porém, em algumas situações, o gato pode, sim, adotar um comportamento de filhote e, a partir daí, estabelecer um comportamento filial – por exemplo, quando o gato fica ‘amassando’ o tutor, aquele comportamento que o filhote faz ao comprimir a glândula mamária da mãe”, conta Gelson Genaro, professor do Centro Universitário Barão de Mauá, de Ribeirão Preto, especialista em bem-estar felino.

Segundo o especialista, esta “não diferenciação” se deve, possivelmente, ao fato dos bichanos ainda não terem sido domesticados no mesmo grau que os cães. “O fato do gato, especialmente os sem raça definida, disputarem os acasalamentos de modo muito semelhante às espécies silvestres, demonstra que não atingimos o mesmo nível de modificação que fizemos com o cão”, explica.

E os gatinhos têm uma maneira bem simples e objetiva de se comunicar com seus tutores, aprendendo detalhadamente como nós reagimos às ações deles, como vocalizar ou produzir sons específicos para nos chamar até o cômodo em que estão – lembre-se que os felinos possuem diversos tipos de miados, trinados e “ronrons” para se comunicar com humanos.

O fato é que além dos bichanos nos enxergarem como se fôssemos gatões, eles sabem exatamente como nos fazer cair de amores por eles, não é mesmo?

 

Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.