Portal Melhores Amigos | Como os cães podem auxiliar na educação das crianças?
3455
single,single-post,postid-3455,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Como os cães podem auxiliar na educação das crianças?

girl-1561943_1920

19 fev Como os cães podem auxiliar na educação das crianças?

Que os animais de estimação podem ser grandes amigos das crianças, isso todo mundo sabe. Mas, além de promover a troca de carinhos, essa parceria pode ser uma grande aliada na educação dos seus filhos. Ou seja, não é só vídeo fofinho nas redes social, ter um pet pode ser um ingrediente decisivo para a educação das crianças.

“Vários estudos mostram que crianças que possuem uma boa convivência com animais de estimação podem se tornar mais afetivas, solidárias, sensíveis, desenvolvem um senso de responsabilidade e compreendem melhor o ciclo de vida-morte presente em todos os seres vivos”, explica a psicóloga Raísa Duquia Giumelli.

O resultado pode ser tão positivo para o desenvolvimento na infância que um estudo da Universidade de Cambridge concluiu que ter um cão pode ser mais vantajoso para os pequenos do que ter um irmão. Isso porque o relacionamento com animais melhora habilidades sociais e ajuda a preservar o bem-estar emocional das crianças. Ah, e os donos de cachorros se diziam mais satisfeitos do quem “dividia” os pais.

“Se a criança se sente sozinha, o que mais vai ficar marcado na relação com o animal é a companhia. Em crianças menores, o principal é a novidade, um ser vivo que age de forma diferente dela, o que condiz com sua fase de desenvolvimento, no qual ela também está se conhecendo”, explica a psicóloga.

Para os bebês, Raísa diz que a presença de um animal pode estimular o desenvolvimento psicomotor, como, por exemplo, ajudá-lo a começar a engatinhar. Nos maiores, a relação entre cães e crianças também diminui as chances de ambos serem sedentários, já que as brincadeiras exigem movimentação. Ou seja, há benefícios distintos de acordo com a idade e a personalidade da criança.

É bom saber, no entanto, que os pets não fazem todo o trabalho sozinho. “Criança aprende por modelos, imitação. Então, se a família tem uma relação de respeito, afeto e empatia com o animal de estimação, isso com certeza vai contribuir para a criança aprender a ter respeito pelo outro. Não dá para tratar mal um animal e exigir que a criança trate bem, por exemplo. Quem ensina é a família, não o cão”, destaca a Raísa.

Além disso, é importante que a família saiba que ter um animal exige cuidados específicos e a dedicação de todos. “O animal de estimação não é um brinquedo para a criança se distrair. É um ser vivo que possui necessidades fisiológicas e de afeto e companhia. Também precisa de investimentos médicos (como vacinas, vermífugos), alimentares e que se comunica latindo. Se a família está disposta e ciente de todos esses aspectos, é um grande passo”, diz a psicóloga.

Há ainda que verificar se todos podem e desejam o cão, e tenham em mente que são os adultos, e não os filhos, os responsáveis pelo animal. “A criança pode ajudar no cuidado, dividir tarefas com adultos e, com isso, desenvolver o senso de responsabilidade”, explica Raísa.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.