Portal Melhores Amigos | Castração de gatos e gatas é importante para a saúde dentro e fora de casa
3241
single,single-post,postid-3241,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Castração de gatos e gatas é importante para a saúde dentro e fora de casa

Castração gato

02 out Castração de gatos e gatas é importante para a saúde dentro e fora de casa

Castrar ou não castrar seu felino doméstico? A verdade é que existem bons motivos para você não deixar de lado esse cuidado com seu pet. “Os motivos pelos quais se indica a castração são diferentes para machos e fêmeas, mas as consequências são positivas para ambos”, explica a médica-veterinária Regina Rheingantz Motta, da clínica Homeo Patas. “Para o macho, o benefício principal é a melhora da expectativa de vida, que poderia ser abreviada por brigas, atropelamentos ou doenças adquiridas fora de casa”, explica.

 

A atividade hormonal do gato não castrado impulsiona o animal a brigar por território, fora ou dentro de casa, ou pela necessidade de procurar fêmeas para se reproduzir. Ao encontrar outro gato interessado na mesma fêmea, a probabilidade de confusão é alta. “Quando castrado, ele se sente menos estimulado a sair, e uma vez dentro de casa está menos propenso a contrair viroses e outras doenças graves como a PIF – aids felina – entre outras. Além disso, quanto mais tiver vontade de sair para a rua, maior será o risco de acidentes e atropelamentos, ou casos como depois de ter subido em um telhado ou árvore, não conseguir descer”.

 

Também há benefícios em relação à convivência dentro casa, já que o gato castrado não sente a necessidade constante de marcar seu território, cuja marcação é feita através de urina. Destituída dos hormônios que deixam de ser fabricados pelo corpo após a castração, ela também perde um pouco do seu odor, que é forte.

 

A fêmea também vai desejar sair de dentro de sua casa durante o período do cio, e se não há intenção dos tutores em criar filhotes, é extremamente recomendável castrar o animal. “O comportamento da gata dentro de casa muda em função do cio, e com isso muda a rotina dos outros moradores”, alerta a Dra. Regina. Elas tornam-se inquietas, miam muito, e podem entrar em ciclos de cio muitas vezes ao ano, diferente das cadelas, que tem um calendário semestral. A castração das fêmeas também previne câncer de mama, além de evitar qualquer chance de infecções uterinas.

 

Se seu gato ou gata convive com outros felinos dentro de casa, castrar os animais também é uma ação importante, já que gatos machos provavelmente entrarão em conflito dentro de casa – e o mesmo acontece com fêmeas. As únicas contraindicações são o processo cirúrgico em filhotes muito novos. “Após quatro ou cinco meses, assim que o primeiro esquema de vacinação estiver completo, já é possível fazer a castração”, finaliza a veterinária.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.