Portal Melhores Amigos | Carinha de dó: como mudar o comportamento “pidão” dos cães
530
single,single-post,postid-530,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Carinha de dó: como mudar o comportamento “pidão” dos cães

destaque

01 jun Carinha de dó: como mudar o comportamento “pidão” dos cães

Quem resiste a um par de olhos manhosos, orelhas caídas e choro insistente pedindo por um pedaço do que a família está comendo? Esse comportamento tão típico de cães pode derreter qualquer coração, mas também pode acabar sendo incômodo. Para chamar a atenção, alguns cães chegam a latir ou pular e alguns donos escolhem dar um pouco de comida para interromper a bagunça.

No entanto, essa atitude pode não ser benéfica para o relacionamento com o pet, já que, ao oferecer exatamente o que o cãozinho luta tanto para ter, o dono reforça positivamente esse comportamento e faz com que ele entenda que, toda vez que quiser um petisco, pode continuar agindo daquela forma. É importante ressaltar também que cães não precisam de alimentos além da ração e dos complementos e suplementos específicos para a espécie e, por isso, oferecer alimentos de consumo humano pode fazer mal a eles.

Mudar o cachorro pidão exige um pouco de paciência, mas não é difícil. Primeiramente, é importante que o dono e a família revejam suas próprias atitudes e pensem em que momentos permitem o comportamento negativo. A cada vez que o pet for insistente, deve-se ignorá-lo completamente. Pode ser difícil, pode ser que incomode muito, mas não reforce o hábito. Aos poucos, ele ficará cansado e perceberá que a tática não funciona.

Outra atitude que pode ajudar é alimentar-se antes de servir a comida do cãozinho. O cachorro doméstico herdou o instinto de comer após o líder da matilha se saciar. Por isso, ele irá entender e aceitará que só poderá alimentar-se após o término da refeição do “cão-alfa”.

Além disso, antes de oferecer a comida, fique atento à atitude do cão. Se ele estiver muito agitado, aguarde até que se acalme e então ofereça o alimento. Horários fixos de refeições também são ótimos para mostrar ao bichinho quem controla a alimentação.

Com paciência e firmeza, o cão mudará sua forma de agir sem estresse e sem sofrimento. Se ainda assim estiver difícil a situação, um adestrador é o profissional mais indicado para tirar suas dúvidas e traçar uma estratégia para o bem da família toda.

 

 

 

 

Por: Paula Saldanha
Nenhum Comentário

Postar um comentário