Portal Melhores Amigos | As férias estão chegando I: posso levar os pets na viagem de férias?
3335
single,single-post,postid-3335,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

As férias estão chegando I: posso levar os pets na viagem de férias?

adorable-1854119_1920

01 dez As férias estão chegando I: posso levar os pets na viagem de férias?

Já começou a contagem regressiva para as férias de fim de ano e muitas famílias vivem aquele grande dilema: deixar o pet ou levá-lo junto na viagem? Antes de sair atrás de um hotel animal ou de providenciar a bagagem extra, é preciso pensar um pouco e ver se a personalidade do seu gato ou cachorro combina com o destino escolhido.

“Muita gente verifica a documentação necessária, o cinto de segurança para o transporte do pet, faz uma mala com os acessórios do animal, mas esquece de algo que eu acho que é mais importante: o roteiro tem que integrá-lo e precisa ser divertido para todo mundo”, diz Larissa Rios, fundadora da Turismo 4 Patas.

A cachorra de Larissa, por exemplo, só viaja junto quando o destino permite atividades ao ar livre, como hotéis-fazenda ou passeios mais ligados à natureza, onde ela pode correr à vontade. Por outro lado, a turismóloga prefere deixar a companheira em casa ou em um hotel para pets quando o roteiro inclui passeios de compras e visitas a muitos restaurantes. “Não dá para levar o animal e forçá-lo a atividades que ele não goste de fazer”, diz.

Desse modo, antes de fazer as malas é importante conhecer bem o temperamento do seu pet, saber quais atividades ele gosta de fazer, se é dócil e está acostumado a se relacionar com estranhos, e se a idade e a saúde dele são compatíveis com os passeios que serão realizados durante a viagem.

“Depois, é preciso confirmar se, de fato, o animal é bem-vindo em todos os lugares incluídos no roteiro e avaliar como ele vai se comportar caso precise ficar momentos sozinho no hotel”, diz Larissa.

Nesse momento, algumas perguntas podem ajudar, como:

  • Há parques e estabelecimentos comerciais pet friendly na cidade?
  • O animal vai poder circular em todos os espaços do hotel?
  • Se não, ele ficaria bem sozinho no quarto — um lugar estranho para ele?

 

Ainda de acordo com a turismóloga, tomando esses cuidados você consegue evitar dois dos principais problemas relacionados à hospedagem dos pets: destruição de objetos de estabelecimentos e latidos em excesso. “Pensar nesses pontos faz com que a relação entre cães, tutores e os estabelecimentos funcione em harmonia”, afirma.

Com essas dicas, a viagem pode ser mais tranquila e divertida para todo mundo. Boas férias!

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.