Portal Melhores Amigos | Raios e trovões: O que fazer se seu cãozinho morre de medo de chuva?
4317
single,single-post,postid-4317,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Raios e trovões: O que fazer se seu cãozinho morre de medo de chuva?

22_Out_opcao2

14 out Raios e trovões: O que fazer se seu cãozinho morre de medo de chuva?

Não são poucos os cãezinhos que morrem de medo de chuva e trovões. Alguns só ficam realmente assustados quando estão sozinhos; outros mesmo em companhia só querem saber de fugir e de se esconder.

“Alguns pets apresentam grande incomodo na parte auditiva, por se tratar de uma área muito sensível”, afirma a médica veterinária Tatiane Gomes Fernandes. “Estudos mostram ainda que aqueles já castrados têm maior predisposição a esse tipo de fobia. Quando mais velhos, existe também a probabilidade de aumentar esse medo”.

Há uma série de razões, instintivas, para que os pets se sintam assim. E as reações, que variam das mais intensas, como choro, agressividade, vômito, diarreia, respiração ofegante e coração acelerado, às mais discretas, como nariz quente, tremores, rabo entre as pernas e orelhas baixas, devem ser sempre levadas a sério.

O medo, independentemente do motivo, não é brincadeira – e não deve, jamais, virar mote para vídeos no YouTube hein. A grande pergunta, portanto, é: o que fazer para minimizá-lo?

A seguir, veja algumas estratégias que o Portal Melhores Amigos selecionou.

Um espaço seguro – e familiar

Em meio a uma trovoada, nada melhor para o pet do que estar em um local com o qual está habituado: sua casa. Para evitar clarões e reduzir o barulho, feche janelas e cortinas. Ah, certifique-se que o lugar é à prova de fugas e guarde bem os objetos para prevenir acidentes. Tente fazer ele se sentir protegido.

Mantenha-se tranquilo e desvie sua atenção

Cachorros absorvem muitos dos estímulos externos e têm seus tutores como referência. Por isso, o mundo pode estar caindo lá fora, mas mantenha a sua calma – isso ajudará a deixar seu pet tranquilo. Se esforce também para distraí-lo, seja com brincadeiras, seja com petiscos. Tente não segurá-lo de forma muito intensa.

O mais importante: nunca brigue com o seu pet, pois isso só piorará a situação, alerta Tatiane.

Som na caixa

Uma música calma ou mesmo ruídos da natureza podem tranquilizar seu cãozinho. Além de mascarar o barulho externo, sons como esses tiram o estresse de muitos pets – às vezes até dão uma forcinha para que eles adormeçam. Vale também utilizar a TV ligada ou utilizar algodão nos condutos auditivos para abafar o ruído – lembrando, sempre, de retirá-lo quando a chuva terminar.

Florais

Florais são essências de flores e plantas diluídas em água e conservante. Eles podem ajudar os animais da mesma forma que ajudam os humanos: restaurando seu equilíbrio emocional em situações de medo e estresse. Os florais não apresentam nenhum tipo de contra indicação, mas, de toda forma, busque uma orientação do médico veterinário antes de utilizá-los.

Dessensibilização sistemática

O nome é complicado, mas a técnica até que é simples. Consiste em simular o objeto que provoca medo (barulho de trovões, por exemplo) e apresentá-lo, bem aos poucos, ao cãozinho. Assim, com o tempo, o temor será reduzido ou quem sabe deixará de existir.

Buscar ajuda de um profissional especialista em comportamento irá ajudá-lo a trabalhar esta técnica, assim como tentar outras.

E se as reações continuarem intensa apesar dessas estratégias? O que fazer?

“Primeiramente procure um médico veterinário com urgência”, diz Tatiane. “Pacientes cardíacos merecem uma atenção especial, pois apresentam grande chance de apresentar uma síncope ou até mesmo um quadro convulsivo”.

Existe ainda  alguns medicamentos para controle de ansiedade que podem ajudar o pet nessa situação, deixando-os mais calmos. Mas o uso deles, vale enfatizar, deve ser feito somente mediante prescrição veterinária.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.