Portal Melhores Amigos | Os quatro grandes erros dos tutores ao treinar seus cães
4072
single,single-post,postid-4072,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Os quatro grandes erros dos tutores ao treinar seus cães

Post_portalmelhoresamigos_1

22 mar Os quatro grandes erros dos tutores ao treinar seus cães

 

Na intenção positiva de oferecer o melhor treinamento aos seus cachorros, muitos tutores cometem erros graves, que podem ter efeito contrário e prejudicar o bom comportamento dos seus bichinhos.

 

A pedido do Portal Melhores Amigos, o médico veterinário clínico geral Rodrigo Guimarães D. de Carvalho (Instagram: @vetrodrigocarvalho) fez uma lista com os quatro principais erros dos tutores ao treinar seus cães. Confira abaixo para não cometer deslizes!

 

 

1) Chamar pelo nome

 

O primeiro erro é um dos mais comuns entre os tutores: chamar o seu cachorro pelo nome na hora de corrigi-lo. Nunca faça isso, uma vez que o cão geralmente associa o seu nome a ações corretas.

 

“Se o tutor chama o cãozinho pelo nome na hora da bronca, este pode não entender que o que está fazendo é errado, ou até associar uma ação errada a uma ação correta”, explica o veterinário.

 

Errado: “Totó, não!” “Para, Totó” “Totó, mas o que você fez?”

 

Correto: “Não!”

 

 

 

2) Dar bronca na hora errada

 

A hora certa de dar a bronca é no ato. Não adianta corrigir o seu cachorro depois do ocorrido, pois ele não conseguirá associar aquela bronca ao que fez no passado.

 

“Chegou do trabalho e viu que seu cãozinho tocou o terror na casa, com xixi para todos os lados? Não adianta dar bronca”, explica Carvalho. “O cachorro vai saber que sua energia mudou, que você está nervoso ou bravo, e vai ficar com medo de você. Mas não vai saber que isso ocorreu por causa do xixi.”

 

Para flagrar o animal, o tutor deve aproveitar o tempo em que está com ele e supervisioná-lo. No caso do xixi, por exemplo, ao perceber que o cachorro vai fazer no local errado, deve segui-lo e dar bronca no ato ou logo depois dele.

 

Errado: dar bronca depois de mais de um minuto do ato

 

Correto: dar bronca ao flagrar o animal ou logo depois

 

 

 

3) Ter dó

 

Na hora da bronca, o tutor não deve “humanizar o animal”. Não deve gritar, muito menos bater ou ameaçar o cão, mas precisa ser rígido. “O cão não vê os seus tutores como ‘papai’ ou ‘mamãe’, mas como parte de uma matilha. Tratá-lo como ‘filho’ ou ter dó dele é errado. Tem tutores que chegam a fazer carinho ao dar bronca… Fazendo isso estaremos ‘estragando’ o cãozinho”, afirma o profissional.
Errado: Fazer voz de criança, fazer carinho, ter dó de dar bronca

 

Correto: ser enérgico e direto, sem gritar, ameaçar ou bater no animal

 

 

4) Não ter disciplina (não mostrar quem manda)

 

O tutor precisa deixar claro ao cachorro quem manda na “matilha”. E isso só ocorre durante o dia a dia. Não adianta disciplinar o animal em um momento, e no outro deixar que ele faça o que bem entende.

 

“Se o cão chega em casa e faz festa, o correto é não dar atenção, por mais que tenhamos vontade de fazer carinho. Quando o cão estiver mais tranquilo, aí, sim, brincar com ele. Até o simples fato de sair de casa e deixar o cão sair na frente sugere a ele que quem manda é ele. São comportamentos diários que precisamos prestar atenção e isso exige disciplina”, afirma o veterinário.

 

Errado: achar que só broncas esparsas funcionam

 

Correto: mostrar no dia a dia quem manda, com atitudes constantes

 

 

E lembre-se: tutores devem procurar um médico veterinário especialista em comportamento ou adestrador para que esses profissionais possam oferecer a melhor solução para casos específicos.

 

 

 

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.