Portal Melhores Amigos | Oriental Shorthair: origem, cuidados, curiosidades
2539
single,single-post,postid-2539,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Oriental Shorthair: origem, cuidados, curiosidades

oriental-shorthair_DOMINIO-PUBLICO

01 fev Oriental Shorthair: origem, cuidados, curiosidades

Se tem uma raça conhecida e querida dos amantes de gato é o Siamês, com seus enormes e lindos olhos azuis. Há um “primo” do Siamês, porém, que ganha cada vez mais adeptos no mundo e tem se tornado bastante popular, o Oriental Shorthair.

A raça foi desenvolvida a partir do cruzamento entre siameses com outras raças, em especial o Russian Blue. Vanessa Zimbres, especialista em felinos, da Clínica Gato é Gente Boa, conta mais sobre Oriental Shorthair: “são gatos que tem o aspecto físico bem semelhante aos siameses, mas com diferentes colorações”. Estudos dizem que podem existir atualmente mais de 300 variações da raça no mundo.

Os siameses e sua variação oriental podem diferir de cor, mas sob a pelagem eles são extremamente parecidos. O Oriental Shorthair também é falador e opinativo, gosta bastante de vocalizar. Ele não pensará duas vezes em dizer exatamente o que está querendo, com seu miado alto e rouco.

Esses felinos são ágeis e atléticos, apresentando corpo esguio e músculos fortes. Além disso, são extremamente inteligentes. É uma raça que demanda brinquedos para se manter ativa física e mentalmente.

Para quem considera ter um Oriental Shorthair, uma ótima notícia. “Não são gatos que demandam um cuidado especial, sendo uma raça de fácil manejo. Escovações de pelo esporádicas são o suficiente”, explica Vanessa. Na parte da saúde, por ser um descendente de siamês, deve-se atentar para doenças que podem ser predispostas nessa raça, incluindo diabete, asma, bronquite, defeitos cardíacos congênitos como estenose aórtica, entre outros.

Os gatos dessa raça costumam ser muito dóceis e afetivos com pessoas da família, e também com outros gatos. “Como é uma raça afetiva, ativa e brincalhona, eles podem ser uma boa escolha para uma família com crianças. Mas, se aplicado um enriquecimento ambiental, uma pessoa que mora em pequenos espaços pode facilmente ter um também”.

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.