Portal Melhores Amigos | Março Amarelo: saiba como proteger seu bichinho de doenças nos rins e quais raças são mais atacadas
4464
single,single-post,postid-4464,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Março Amarelo: saiba como proteger seu bichinho de doenças nos rins e quais raças são mais atacadas

06_Mar

06 mar Março Amarelo: saiba como proteger seu bichinho de doenças nos rins e quais raças são mais atacadas

Seu cachorro ou gato está bebendo mais água do que o costume e o xixi é mais frequente e/ou menos concentrado? Cuidado: seu bichinho pode estar com alguma doença renal. Estamos no Março Amarelo, Mês Internacional do Cuidado com as Doenças Renais, período que tem como objetivo conscientizar tutores para esses males, causas muito comuns de óbitos entre animais de estimação.

Para dar dicas sobre o Março Amarelo, o Portal Melhores Amigos entrevistou Bianca Bennati, veterinária da clínica da SPet junto à Cobasi São Bernardo do Campo Faria Lima. Veja os detalhes a seguir:

Portal Melhores Amigos: Quais são as formas de evitar que um animal desenvolva problema nos rins?

Bianca Bennati: Dando uma ração de boa qualidade e deixando água fresca à vontade são as duas principais formas, mas também devemos ressaltar que se deve evitar a automedicação do animal porque algumas medicações podem causar problemas renais se erroneamente administradas.

Animais idosos têm mais dificuldade para levantar e, consequentemente, tendem a desidratar mais. Isso prejudica o rim. Nestes casos, é preciso garantir que a água esteja de fácil acesso e, de preferência, que o animal fique num local onde consiga levantar com mais facilidade. Muitas vezes, doenças decorrentes da idade predispõem ao desenvolvimento da doença renal – manter o controle daquelas doenças pode ajudar a impedir o desenvolvimento desta.

PMA: Quais são as causas da doença renal?

Bennati: Predisposição genética; desidratação; doenças pré-existentes (por exemplo, endocrinopatias e cardiopatias); ingestão de venenos e/ou toxinas, incluindo administração de medicações por conta e alimentos tóxicos; hipertermia; infecções graves (por exemplo, pancreatite e piometra); alterações de pressão, hipertensão e hipotensão; e idade.

PMA: Como identificar que um animal está começando a ter este tipo de problema?

Bennati: Para os casos de doença renal crônica, o primeiro sintoma que iremos encontrar será aumento na produção de urina e, consequentemente, aumento na ingestão de água, então, o animal começa a beber muito mais água e a urina dele é menos concentrada, mais frequente ou em maior quantidade.

Depois, o animal começa a ter falta de apetite, vômitos esporádicos e perda de massa muscular. Quadros mais avançados apresentam vômito, diarreia, apatia, anorexia e mau hálito (hálito cetônico).

Nos casos de doença renal aguda, a produção de urina cai drasticamente, então o animal começa a não urinar e apresenta sintomas de apatia, vômito e diarreia. Como o próprio nome já diz, são casos mais agudos, nos quais os sintomas se apresentam em questão de dias. Geralmente, esses casos têm um histórico de ingestão de alguma medicação ou veneno.

PMA: Quais são as formas de tratamento de uma doença renal?

Bennati: Na doença renal crônica, o tratamento é sintomático. Em crises tratamos os sintomas (apatia, vômito, diarreia, falta de apetite), corrigimos o pH do sangue e hidratamos o animal. Para a manutenção, fazemos a hidratação do animal, pH do sangue, controlamos os eletrólitos do sangue e corrigimos a alimentação. Cada caso é um caso, variando o tratamento e manutenção com cada animal. Nos casos de doença renal crônica, a hemodiálise é contraindicada.

Para doença renal aguda, o tratamento é mais intenso, sendo necessário internar e, às vezes, realizar a hemodiálise. Muitos animais que passam por um quadro de doença renal aguda conseguem reverter, mas viram doentes renais crônicos depois.

PMA: Qual a importância de consultas periódicas e exames preventivos?

Bennati: Quanto antes a doença renal crônica for diagnosticada, melhor a sobrevida do animal. A doença renal crônica é dividida em estágios: quanto mais cedo for descoberta, maior será a chance de o animal não progredir para o próximo estágio.

Consultas e exames preventivos são necessários para podermos avaliar a função do rim e, assim, estagiar a doença, se houver. Para estagiarmos, são necessários diversos exames simples e minimamente invasivos. Animais idosos precisam realizar check-ups anuais ou semestrais, dependendo do caso.

PMA: Quais raças de cães e gatos são mais propensas a desenvolver a doença?

Bennati: Antes de mais nada, devemos lembrar que, embora existam raças predispostas à doença, animais de outras raças ou sem raça definida também podem desenvolver o problema.

Quanto à predisposição, nos cães podemos citar as seguintes raças: Yorkshire, Poodle, Lhasa Apso, West Highland Whiste Terrier, Cocker Spaniel, ShihTzu, Maltes, Schnauzer Miniatura, Rottweiler, PitBull, BullTerrier, Labrador e Golden.

Nos gatos: Persa, Exótico, Siamês, Maine Coon, Ragdoll, Birmanês, Abissinio e Azul Russo.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.