Portal Melhores Amigos | Hemofilia: o que é e como diagnosticá-la
4130
single,single-post,postid-4130,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Hemofilia: o que é e como diagnosticá-la

Post_portalmelhoresamigos_4

29 abr Hemofilia: o que é e como diagnosticá-la

Primeiro, vamos falar o que é hemofilia. Trata-se de uma doença congênita (presente desde o nascimento) e hereditária, causada pela deficiência na coagulação do sangue. Ela acomete cavalos, suínos, bovinos e também nossos cachorrinhos – principalmente machos e raças como pastor alemão e o dobermann. O animal que a possui apresenta diferentes graus de hemorragia, sem que, para isso, tenha ocorrido necessariamente algum acidente para desencadeá-la.

A hemofilia é transmitida da mãe para os filhotes através do cromossomo X. Normalmente, é uma doença diagnosticada quando o animal ainda é bastante jovem, e se manifesta clinicamente em episódios de hemorragias tardias (pós-traumas, procedimentos cirúrgicos, punção de vasos) ou com hemorragias em cavidades (torácica, abdominal, articular), e pela presença de hematomas pelo corpo.

“Embora sejam sinais clínicos que chamem a atenção, várias outras doenças podem causar quadros hemorrágicos”, afirma a médica veterinária Erika Terra Carabolante. “O diagnóstico da hemofilia é fechado após a realização de testes que avaliam a atividade dos fatores de coagulação sanguínea”.

Existem dois tipos de hemofilia (Tipos A e B). Segundo Erika, eles que diferem entre si não pela gravidade, mas pelos fatores da coagulação que estão envolvidos. Ambos podem ser de leves a graves, a depender do grau de comprometimento da coagulação sanguínea.

“A hemofilia não tem cura, mas tem como ser manejada e tratada em períodos de ocorrência dos sinais clínicos”, diz Érika. “O manejo consiste em evitar situações que podem desencadear quadros hemorrágicos, mas, caso estes ocorram, o tratamento envolve a reposição dos fatores de coagulação deficientes através de transfusão sanguínea”.

Fica então o alerta: se o seu bichinho é jovem (menos de um ano de idade) e começou a apresentar hematomas pelo corpo ou algum tipo de sangramento espontâneo – principalmente em cavidades e não necessariamente logo após um trauma -, leve-o ao veterinário o mais rápido possível. É ele o profissional capacitado para realizar o diagnóstico e o tratamento corretos.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.