Portal Melhores Amigos | Dieta e exercícios: saiba como tratar a obesidade em gatos
3452
single,single-post,postid-3452,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Dieta e exercícios: saiba como tratar a obesidade em gatos

cat-2143332_1920

16 fev Dieta e exercícios: saiba como tratar a obesidade em gatos

Você pode até achar fofinho, mas a obesidade em gatos é um problema sério, que precisa ser tratado. Isso porque os quilos extras, resultados de uma alimentação inadequada e da falta de exercícios, podem se transformar em uma série de doenças. E você não quer ver seu amiguinho debilitado, não é mesmo?

Segundo a médica-veterinária Laila Massad Ribas, especializada em felinos, a principal causa da obesidade nesses animais é a soma de dieta rica em carboidratos, disponíveis nas rações secas, e sedentarismo. “Gatos são estritamente carnívoros e, por isso, as altas taxas de carboidratos da dieta favorecem o ganho de peso, mais comum em gatos castrados confinados”, diz.

Entre os erros comuns cometidos pelos donos de felinos obesos, o principal é o excesso de ração. “Os gatos têm habito de comer diversas vezes ao dia, o que faz com que o tutor acredite que eles estejam sempre com fome”, diz Laila.

O resultado de tanta comida é uma lista de problemas de saúde que inclui diabetes, dores articulares, dermatites (como assaduras em pregas de pele), bem como o aumento das taxas de colesterol e de triglicérides no sangue.

Diagnosticado o sobrepeso ou a obesidade, o primeiro passo deve ser a mudança na alimentação. “Geralmente, os gatos obesos são os que ingerem muito carboidrato, então umas das recomendações é a troca total ou parcial por uma ração úmida em sachê ou lata”, explica a veterinária.

Neste caso, é indispensável o acompanhamento de um especialista. “Se o tutor resolver fazer uma dieta para o gato, ele precisa da ajuda de um veterinário, pois a rejeição ao alimento novo pode causar lipidose hepática, que é um acumulo acentuado de gordura no fígado causado pelo jejum prolongado”, destaca Laila.

Para tirar o seu felino do sedentarismo, além de uma dieta balanceada, uma boa dica é investir no enriquecimento ambiental e em brincadeiras que ajudem o gato a se movimentar. “O enriquecimento pode ser feito tanto com a instalação de prateleiras, como a partir da mudança dos móveis de local, para que os gatos escalem e se exercitem”, diz Laila.

Além disso, vale arriscar um passeio em família. “Poucos gatos aceitam passear de coleira como os cães, mas não custa tentar e descobrir se o gato gosta ou não. Aqueles que gostam acabam perdendo peso com mais facilidade quando passeiam todos os dias”, afirma.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.