Portal Melhores Amigos | Como amenizar o medo de fogos de artifício em cães?
2388
single,single-post,postid-2388,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Como amenizar o medo de fogos de artifício em cães?

medo

13 dez Como amenizar o medo de fogos de artifício em cães?

Fogos de artifício são divertidos na hora de comemorar o Ano Novo, a vitória do seu time e outros momentos especiais de nossas vidas. Mas, é só olharmos a reação dos nossos amigos caninos para pensarmos duas vezes antes de soltar o próximo rojão.

O medo de fogos de artifício é uma fobia muito comum em cães, que têm uma audição mais acurada do que a humana e também escutam em frequências diferentes das nossas. É normal que eles se assustem com o barulho alto e repentino e com o clarão que se forma no céu. Mesmo o cão mais confiante pode se assustar e ficar com medo destes sons que não são familiares em seu dia a dia.

Algumas dicas ajudam os donos a diminuir o sofrimento dos animais durante uma queima de fogos ou trovões, especialmente se estiverem ao seu lado. A melhor maneira de saber como acudir seu cãozinho nesta hora vai depender da personalidade dele e também de como é a rotina dentro de casa. Carinho e palavras amorosas sempre ajudam, assim como distrair o animal com uma brincadeira. Contanto que não seja algo exagerado, em excesso. “O proprietário deve se manter calmo para que o animal se sinta mais confortável, seguro e menos ansioso. Pegá-lo no colo e fazer uma grande comoção, pode passar mais ansiedade ao animalzinho e aumentar o medo e estresse dele”, explica a veterinária Roberta Rabioglio Amaral. Pratique estas medidas com seu cachorrinho desde filhote para evitar ou minimizar problemas futuros.

A queima de fogos também não é o momento de alterar a rotina do cachorro. Se ele costuma sempre ficar no quintal e não entra em casa, pode ser que ele fique mais estressado ainda se você tentar colocá-lo para dentro. O mesmo vale para o caso de petiscos: eles podem ser ótimos aliados para distrair ou recompensar o cãozinho, porém, somente se ele já está acostumado a comer este tipo de comida. “Se o seu pet nunca come petisco, por conta de algum problema de saúde ou falta de costume mesmo, este não é o momento para oferecer”, orienta Roberta.

Encontrar maneiras de abafar o som, ao menos um pouco, pode auxiliar durante a queima. Algumas pessoas possuem lares com ambientes mais isolados do barulho, ou onde o animal se sente mais protegido, então ele pode permanecer lá. Outra dica bacana pode ser colocar um chumaço de algodão no ouvido do cão, se ele permitir, claro! Roberta indica um tipo de algodão parafinado, que é um pouco mais grosso e não absorve água. “Mas somente se for ficar próximo ao animal, para evitar outros problemas”, diz.

Quando não estiver ao lado do seu cãozinho, a situação pode ficar um pouco mais complicada, já que se torna mais difícil confortar o animal. Algo que pode ser relaxante para ele neste momento é deixar ao lado uma peça de roupa com o cheiro do dono.

A questão do medicamento é mais complicada, na visão da Roberta. “Não aconselho dar medicamentos sem acompanhamento do veterinário, que vai avaliar cada caso, conversar com o proprietário para, juntos, escolherem qual a melhor e mais segura opção para o animalzinho. A pessoa tem que estar confortável com a escolha que está fazendo”, esclarece.

Estar com as vacinas e os exames em dia para saber como está a saúde de seu pet é sempre uma ótima maneira de antecipar quaisquer problemas nas épocas do ano em que a queima de fogos é garantida, como no Ano Novo. “Ninguém quer passar a virada do ano no hospital veterinário junto ao seu animalzinho, com toda certeza”, finaliza Roberta.

Agora é só colocar essas sugestões em prática e curtir do ladinho do seu amicão!

 

 

 

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.