Portal Melhores Amigos | Lambeijo: há problema em receber lambidas de cachorro?
Mas, será que receber lambidas de cachorro no rosto faz mal à saúde? Ainda que a ciência não tenha um veredito absoluto sobre esta questão, a melhor resposta parece ser "não há grandes perigos, mas de maneira geral, é melhor evitar".
1595
single,single-post,postid-1595,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Lambeijo: há problema em receber lambidas de cachorro?

cachorro lambeijo lambida

24 mai Lambeijo: há problema em receber lambidas de cachorro?

Não dá para negar: é impossível não sentir um calorzinho no peito ao ver um cachorrinho dando “beijos” no rosto do seu dono. Quem tem um peludo sabe que não há amor maior. Mas, será que receber lambidas de cachorro no rosto faz mal à saúde? Ainda que a ciência não tenha um veredito absoluto sobre esta questão, a melhor resposta parece ser “não há grandes perigos, mas de maneira geral, é melhor evitar”.

De qualquer forma, existem argumentos para o “sim” e para o “não”. Vamos a eles: em 2015, uma pesquisa da Universidade do Arizona, nos Estados Unidos, apontou que os micróbios do trato digestório dos cães podem ter efeito probiótico no corpo humano, ou seja, podem aumentar a quantidade de micro-organismos benéficos ao funcionamento do nosso organismo.

Por outro lado, você deve levar em consideração por onde seu animal passeou, o que ele andou lambendo ou comendo, se ele está limpo, e, por fim, se você não se importa com tudo isso. Como bem sabemos, os cães gostam de vasculhar e conseguir petiscos em qualquer lugar por onde passam, principalmente na rua.

Em alguns casos, é importante evitar

Você já deve ter escutado alguém dizer que a boca do cão é mais limpa do que a humana. Isto é um mito! Portanto, situações nas quais o nosso corpo apresenta imunidade reduzida também são um alerta para manter o cãozinho um pouco mais longe de você. Há centenas de bactérias diferentes na boca canina, como a Pasteurella, gênero que pode ser contraído pelos humanos e causar infecções, em caso de uma mordida ou contato com uma ferida aberta, por exemplo.

Por mais adorável que a cena eventualmente possa parecer, bebês, por exemplo, não devem ser expostos aos beijinhos de amigos peludos, pois não têm um sistema imunológico completo. O mesmo vale para pessoas com deficiências imunológicas, como quem está em tratamento de câncer, soropositivos, mulheres grávidas ou até mesmo idosos.

Voltando ao campo acadêmico, outra pesquisa, desta vez da Universidade de Massey, na Nova Zelândia, aponta que o uso intensivo de antibióticos no tratamento de animais pode estar aumentando a resistência a bactérias, o que agrava o risco de infecções e doenças ainda mais resistentes a tratamentos.

Mas, entre os cães, por que isso acontece?

A verdade é que cães lambem por uma variedade de motivos. A lambida pode significar submissão ao líder da matilha – ou ao dono –, simplesmente felicidade ou até mesmo que está com fome. Enquanto os filhotes crescem, eles lambem uns aos outros para se limpar e, progressivamente, reforçar os laços entre eles. Outras vezes, lambem os humanos porque gostam do “salgadinho” em nossa pele (eca!), ou porque encontraram partículas de alimento que ficaram em nós, mas que só eles conseguem achar.

Lembre-se também que os cães aprendem por reforço positivo. Se ganham carinho, atenção ou petiscos após lamber seu dono no rosto ou nas mãos, por exemplo, ele muito provavelmente irá repetir o ato, mesmo que você diga “não” em algum momento. Nessas horas é importante parar, reforçar a negativa e deixar o cômodo onde está. No final das contas, o melhor é manter seu animal limpo, bem alimentado e evitar lambidas muito constantes, ainda que, às vezes, seja difícil resistir a este carinho do seu amigo canino.

 

 

André Spera
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.