Portal Melhores Amigos | Alô, tutor de ave: saiba o que é a ornitose
1352
single,single-post,postid-1352,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Alô, tutor de ave: saiba o que é a ornitose

ornitose_saude_aves

10 mar Alô, tutor de ave: saiba o que é a ornitose

Todo e qualquer sinal que seu pet apresentar de diferente deve ser encarado sempre com a seriedade e cuidado que você teria ao tratar de um pequeno ser humano que não sabe se comunicar. Portanto, se sua ave tem se mostrado inapetente ou anda com as peninhas arrepiadas, é mais do que recomendado leva-la ao veterinário, pois estes podem ser um indicativo de ornitose.

Causa e sinais clínicos

A ornitose, também chamada de clamidiose ou psitacose, é uma zoonose – isto significa que ela é uma doença que pode causar infecção, inclusive em seres humanos. “Ela é causada por uma bactéria denominada Chlamydophila Psittaci. Em aves, pode causar sinais respiratórios, como sinusite e pneumonia, além de sinais inespecíficos, como anorexia (a ave não se alimenta ou se alimenta pouco), alteração na coloração de fezes e penas eriçadas. Em humanos pode causar pneumonia, febre, dor de cabeça e dores no corpo”, descreve Marta Brito Guimarães, médica veterinária especialista em animais silvestres da empresa de consultoria VetWings, de São Paulo.

Como aves e humanos podem se contaminar?

Segundo Natalia Philadelpho Azevedo, médica veterinária especialista em animais silvestres, também da equipe VetWings, o contágio das aves acontece quando elas entram em contato com a bactéria, que pode estar no ambiente, ou quando o animal entra em contato com uma ave portadora.

“As aves portadoras liberam a bactéria no pó das penas e nas secreções, como, por exemplo, nas fezes, secreção nasal e oral. Entretanto, a doença afeta mais pessoas imunossuprimidas. Desta forma, crianças, idosos e pessoas com doenças que afetam a imunidade, como o HIV, ou que estão sendo tratadas com quimioterapia devem evitar contato com animais que apresentam sinais clínicos ou que não vão ao veterinário regularmente”, alerta Dra. Natalia.

Prevenção e tratamento da doença

Todo mundo sabe – ou deveria saber – que prevenir o problema é sempre a melhor alternativa. Então, se você está prestes a se tornar um tutor de aves, saiba que a prudência deve fazer parte de todo processo, desde antes de você conhecer o bichinho que chamará de seu.

“O modo de prevenção é simples: adquira sempre aves de criadores idôneos, já que o manejo adequado ajuda a prevenir a ornitose. Levar a ave ao veterinário regularmente e sempre que notar alguma alteração no comportamento, alimentação e/ou fezes. Ao adquirir uma nova ave, leve-a ao profissional especializado para fazer uma quarentena antes de coloca-la no mesmo ambiente que as outras”, orienta Yamê Miniero Davies, médica veterinária especializada em animais silvestres, igualmente da VetWings.

A médica veterinária frisa a importância de sempre avisar ao seu médico (humano) que você possui uma ave para, desta forma, ele poder incluir a psitacose como possível diagnóstico e trata-la adequadamente. “O tratamento é feito com antibióticos específicos, tanto nas aves como nos seres humanos. Filhotes são mais sensíveis à doença e podem exigir cuidados mais intensivos”, indica Dra. Yamê.

Se você ou seu pet apresentarem algum sinal descrito acima, sempre consulte seu médico e o veterinário de sua ave. Não dá para bobear, né?

 

 

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.