Portal Melhores Amigos | Vai passear de carro com o seu pet? Saiba transportá-lo com segurança
3434
single,single-post,postid-3434,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Vai passear de carro com o seu pet? Saiba transportá-lo com segurança

dog-1451448_1920

05 fev Vai passear de carro com o seu pet? Saiba transportá-lo com segurança

Pode ser só uma voltinha ou uma viagem de algumas horas, o importante mesmo é saber que transportar o seu pet no carro não é aventura e exige atenção e alguns cuidados específicos. Apesar da variedade de produtos disponíveis no mercado, expostos de acordo com o porte e o tamanho do animal, saiba que o único essencial para qualquer pet é o cinto de segurança.

“A única coisa obrigatória é o cinto de segurança, que é um equipamento barato, varia entre R$ 7 e R$ 25, e tem um engate que se conecta, de um lado, ao cinto do banco traseiro e, na outra ponta, à guia do animal”, diz Luciano Marsariolli, gerente de franquias da 100% PET. Ele diz há vários suportes acessórios, como cadeiras e caminhas, que têm objetivo de dar mais conforto ao animal e proteger o estofado contra imprevistos.

O cinto é importante porque só ele garante segurança ao animal e aos demais passageiros do carro. “Em caso de impacto ou freada brusca, por exemplo, é impossível uma pessoa segurar um cão de pequeno porte, que é muito leve, e corre o risco de voar pela janela ou se chocar contra o vidro”, diz Luciano.

Cães grandes e sem cinto, por sua vez, podem machucar com gravidade a coluna ou os membros, caso forem arremessados contra o banco dianteiro. Em situações como esta, o animal pode até ferir quem estiver sentado nas poltronas da frente do carro.

“Qualquer cachorro, independente da raça ou do tamanho, tem espírito de criança, pode querer pular em direção a um cachorro que está do lado de fora e até fazer com que o condutor perca a direção do carro”, explica o gerente da 100% PET.

Gatos e pequenos pets, por sua vez, podem ser transportados em caixas específicas para a sua espécie. Assim como no caso dos cachorros, o equipamento não exclui a necessidade do cinto de cinto de segurança.

Se você tem um carro do estilo sedan, por exemplo, não transporte seu pet, solto ou na caixa, no porta-malas. “Nesses locais não há refrigeração e ventilação suficientes para o seu animal”, diz Luciano. Ele só recomenda o transporte desse tipo em veículos como vans, peruas ou SUVs, onde há acesso direto entre o porta-malas e a parte interna do carro. “Mesmo nesses casos não se esqueça do cinto de segurança”, reforça.

Além disso, lembre-se que o Código Brasileiro de Trânsito proíbe animais soltos no carro, sentados à esquerda do motorista ou transportados na caçamba de picapes. Nos casos citados, o condutor pode levar multa e perder pontos na carteira de habilitação.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.