Portal Melhores Amigos | Sabia que as aves também brincam?
1015
single,single-post,postid-1015,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Sabia que as aves também brincam?

aves_brincam

09 nov Sabia que as aves também brincam?

Brincar com nosso pet talvez seja uma das atividades mais prazerosas e terapêuticas que existe – tanto para eles, quanto para nós. A maioria dos peludos adora correr atrás das coisas e “jogar bola” conosco.

Mas o que pouca gente sabe é que sim, as aves também brincam e algumas espécies de “penudos” amam umas sessões de entretenimento!

“Com certeza os psitacídeos, como papagaios, periquitos, araras, calopsitas, entre outras aves de bico curvo, representam as espécies mais brincalhonas”, conta Marta Brito Guimarães, médica veterinária especialista em animais silvestres da empresa de consultoria VetWings, de São Paulo.

A médica veterinária revela que, “além dos psitacídeos serem mais populares entre os admiradores de aves, eles são inteligentes, o que os permite imitar perfeitamente diversos tipos de sons e aprender vários truques e brincadeiras, alguns animais cantam músicas e são capazes de realizar jogos de quebra-cabeças. Também são muito sociáveis e quando criados em cativeiro desde filhotes podem ser muito mansos e carinhosos”, explica.

Enriquecendo o ambiente

Claro que para estimular a diversão, nós devemos fazer a nossa parte e prover uma boa qualidade de vida para nossa ave por meio do enriquecimento ambiental. “O enriquecimento tem como objetivo promover o bem-estar do animal em cativeiro com base na aplicação de elementos dentro dos recintos, para que ele se entretenha e apresente comportamento mais próximo de seu ambiente natural”, esclarece Natalia Philadelpho Azevedo, médica veterinária especialista em animais silvestres, também da equipe VetWings.

Gaiola e poleiros adequados ao tamanho da ave são essenciais para que ela se sinta bem no ambiente. “A partir daí, podemos introduzir os elementos de enriquecimento como, por exemplo, esconder alimentos em diversos lugares da gaiola ou em brinquedos específicos para esse uso. Isso faz com que a ave gaste energia procurando o alimento ao invés de recebê-lo pronto e, então, há uma mudança em sua rotina”, conta Dra. Natalia.

Interagindo com sua ave

Mas veja bem, sua ave brincar não significa que ela vai querer tapinha na cabeça igual um cão o faria. “A interação entre ave e proprietário depende muito do comportamento do animal. Os mais dóceis e acostumados com manipulação vão permitir um carinho, colocar no ombro e fazer brincadeiras, mas outros mais ariscos e que não estão acostumados ao contato do proprietário não vão permitir essas ações”, ressalta Yamê Miniero Davies, médica veterinária especializada em animais silvestres, igualmente da VetWings.

Se você é daqueles que ficam doentes se o pet não interagir contigo, vale praticar um treino com sua ave. “É indicado o treinamento da ave com alguns petiscos ou alimentos que eles mais gostam, como a semente de girassol. Assim, a ave é recompensada com esse alimento toda vez que atender o comando do proprietário”, orienta Dra. Yamê.

E você pode até se surpreender com a variedade de brincadeiras que sua penudinha pode aprender. “Com esse treinamento, algumas aves realizam truques de pegar a bolinha, cantar músicas, decorar frases, voar para certos locais (principalmente pombos-correio), fingir de morto e muitos outros. Porém, todo esse processo exige muita paciência, dedicação e repetições”, frisa a especialista.

Escolhendo os brinquedos adequados

E para quem achava que o mercado pet era feito só de chamegos para cães e gatos, saiba que existem brinquedos feitos especialmente para aves. Mas fiquem atentos às recomendações das especialistas na hora de adquirir estes brinquedinhos:

– o ideal é que sejam sempre de materiais naturais, pois as tintas podem ser tóxicas para a ave;

– alterne os brinquedos para que a ave não perca o interesse naquele objeto;

– como são muito curiosas e gostam de bicar, elas podem destruir facilmente os brinquedos, o que é bom, pois perdem tempo se entretendo e liberando o estresse;

– forneça um ninho ou toca, uma espécie de refúgio para que o animal se retire quando não quiser interagir com outros (pode ser uma caixa de papelão ou de madeira, que também é diversão se quiserem destruir).

E voilà!

 

 

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.