Portal Melhores Amigos | Por que os gatos fazem tanto sucesso com os humanos?
2458
single,single-post,postid-2458,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Por que os gatos fazem tanto sucesso com os humanos?

gatos-populares_dominio-publico

10 jan Por que os gatos fazem tanto sucesso com os humanos?

Os gatos fazem muito sucesso entre os humanos, e isso acontece desde os tempos imemoriais. Segundo Carol Rocha, médica-veterinária, mestre em comportamento animal e fundadora da empresa de pet sitter “Pet Anjo”, uma das razões para isso diz respeito ao processo histórico de antropomorfização desses bichinhos (ou seja, a humanização do animal, que passa a ser tratado como se fosse humano, além de suas particularidades genéticas e biológicas).

Os gatos, pelas suas características comportamentais, como menor necessidade de estimulação e convivência com os seres-humanos, comparados com os cães, encaixam-se melhor no dia a dia de pessoas que vivem a realidade agitada das cidades, com tempos de folga mais reduzidos, ausências prolongadas do lar e morando em apartamentos cada vez menores, sem quintais.

De acordo com o IBGE, 17,7% dos lares brasileiros abrigam pelo menos um gato, e a estimativa para a população desses bichos é de 22,1 milhões vivendo em domicílios. Os cachorros são mais numerosos e estão em 44,3% dos domicílios, para uma população de 52,2 milhões, segundo o instituto de pesquisa.

Ainda de acordo com Carol Rocha, os gatos foram domesticados em época bem mais recente que os cães, o que faz com que ainda mantenham algumas características selvagens, como sua maior independência e seu instinto de caçador, por exemplo. Temos a impressão de que são os gatos que escolhem estar com os seres-humanos, não o contrário, embora, obviamente, eles também interajam e convivam muito bem com os seus tutores.

Os bichanos também estão cheios de curiosidades. Uma delas é o “mito” de só beberem água corrente (na torneira da pia, no box do banheiro etc), pois não são afeitos a matar a sede em águas paradas em potes. A explicação para tal comportamento se deve à sua história evolutiva, que por questões de sobrevivência perceberam que as águas em movimento são mais seguras para a sua saúde, uma vez que têm menos chances de abrigar algum tipo de parasita ou agente nocivo.

Outra característica curiosa é nas ocasiões em que eriçam os pelos e o rabo demonstrando agressividade, como se estivessem prontos para o ataque, como nos desenhos de Halloween. Na verdade, o gato que faz esse tipo de demonstração está com medo, e tenta se mostrar “maior” com o objetivo de afastar a pessoa ou animal que lhe transmite perigo.

E quanto ao “mito” de que os gatos não amam os seres-humanos? Também de acordo com Carol, isso não é verdade. Há estudos que demonstram que a citosina (o chamado hormônio do amor) aumenta quando estão ao lado de humanos.

Outra coisa muito importante: o felino não pode ser vegetariano, como querem crer algumas pessoas adeptas desse tipo de dieta. Carol alerta que eles têm uma necessidade muito grande de proteínas e precisam de alimentação carnívora. Ela diz que há casos de animais que chegam à sua clínica com bastante deficiência de proteínas por conta dos alimentos à base de vegetais dados equivocadamente por seus proprietários.

Por fim, a medica-veterinária recomenda estimular os comportamentos naturais dos bichanos com brincadeiras que simulem caçadas, por exemplo, usando brinquedos parecidos com ratos em movimentos rápidos; e com a “verticalização” do ambiente onde eles vivem, instalando prateleiras altas, mas seguras, para poderem observar estrategicamente suas “presas”, ou criar cantos para se esconderem como se estivem num ambiente natural.

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.