Portal Melhores Amigos | Pequenas e perigosas: livre seu cachorro das pulgas
57
single,single-post,postid-57,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-title-hidden,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive
1003_cachorro_nso_destaque

10 mar Pequenas e perigosas: livre seu cachorro das pulgas

É difícil encontrar algum dono de cachorro que nunca tenha visto seu animal se coçando todo e sofrendo com as pulgas. Ainda bem que, atualmente, o mercado oferece diversas opções para combater esses parasitas.

O médico veterinário Alexandre Figueiredo, do blog Dicas Boas Pra Cachorro, aponta os principais métodos e os prós e contras de cada um. Mas antes, um alerta: “apenas 5% das pulgas estão no cachorro e 95% estão no ambiente, na forma de ovos, larvas e pupas”. Portanto, é preciso se certificar que a casa e os ambientes que o cãozinho frequenta estão livres de pulgas.

Para evitar problemas de saúde, o Dr. Alexandre recomenda cuidado. “Cada inseticida possui suas normas de segurança e isso deve ser respeitado por quem for aplicar. De modo geral, após a aplicação, o ideal é deixar o ambiente ventilado e só retornar com o animal após o cheiro ter saído totalmente e o chão estar seco.”

Spray
“Há dois tipos de sprays antipulgas. O que deve ser aplicado no animal e o que deve ser aplicado no ambiente”, explica o Dr. Alexandre. Os sprays indicados para pets são aplicados em todo o corpo, tomando cuidado com olhos e boca para evitar intoxicações. Esse método é bastante seguro e pode ser usado em filhotes e fêmeas prenhes ou lactantes.
“Jamais utilize sprays de ambiente no animal”, alerta o veterinário. Esses devem ser aplicados em locais como cama e casinha.

Shampoo e sabonete
Esses produtos atuam no momento em que entram em contato com as pulgas e devem ser complementados com outros tratamentos, pois não têm efeito residual. No caso da complementação com spray ou pipeta, “o ideal é que espere dois dias depois do banho para que eles tenham melhor eficácia”, indica o veterinário.

Pipeta (spot-on)
São seguras e muito fáceis de serem usadas. Normalmente, o conteúdo é aplicado na pele da nuca no animal, onde ele não consegue lamber. O efeito é rápido e a durabilidade é boa, pois costumam proteger por, no mínimo, 30 dias. É importante ler atentamente as indicações da embalagem antes de iniciar o tratamento.

Coleira antipulga
Esse método possui um efeito prolongado, que pode durar até 07 meses. Porém, é preciso ter cuidado. Como o remédio é liberado aos poucos, não devemos tocar na coleira para evitar irritações na pele, olhos e boca. Filhotes a partir da oitava semana já podem usar o método.

Talco
São fáceis e práticos de utilizar. Foram feitos para serem aplicados no animal, mas possuem também efeito no ambiente, onde o cão frequenta. O Dr. Alexandre dá a dica: “como não possui um efeito residual muito grande, acaba que a utilização para o controle no ambiente com um aspirador de pó se torna mais eficiente”.

Comprimido
Em estágios avançados de infestação, a pele do animal está muito ferida e alguns produtos podem causar irritação. Nessas horas, os comprimidos são o tratamento ideal. Se o seu cãozinho estiver assim, leve-o ao veterinário para que ele receite o medicamento correto. Normalmente, os cães precisam ter mais de 1 kg de massa e 14 semanas de idade. Sempre respeite a dose indicada.

 

 

Por Natália Sobral
Nenhum Comentário

Postar um comentário