Portal Melhores Amigos | O Pug: conheça tudo sobre a raça e ame-a ainda mais
863
single,single-post,postid-863,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

O Pug: conheça tudo sobre a raça e ame-a ainda mais

cachorro_pug

21 set O Pug: conheça tudo sobre a raça e ame-a ainda mais

Quando o mundo conheceu “Frank, o Pug”, personagem de “Homens de Preto”, o estrago (do bem) estava feito em nossos corações: todos queriam um cãozinho igual ao do filme para chamar de nosso e abraçá-lo, esmagá-lo, apertá-lo e cheirar seu cangotinho enrugado.

Agora, você vai saber tudo sobre esse “mini ser”, que é um dos cães mais fofos da galáxia!

“O Pug se originou na China antiga e era chamado de ‘short mouthed dog’, que significa cão de boca curta. No início do século XVI, eles foram enviados aos países europeus e, a partir do século XIX, foram oficializados como raça”, explica Mariana Jábali dos Santos, médica veterinária da Univet, em Ribeirão Preto.

Essas criaturinhas fofuchas devem pesar entre 6,3 e 8,0 kg e podem existir nas cores “fawn”, que é um tipo de bege e suas variações, e preta. Suas marcas registradas são a cabeça chata e os olhinhos bem redondos e escuros, que dão aquele ar todo expressivo dos Pugs, que conhecemos bem.

Dra. Mariana conta que “o Pug é uma raça muito dócil e fiel ao dono, daquelas que se tornam, literalmente, uma companheira inseparável. Também é extremamente sociável e consegue se adaptar a pessoas e ambientes diferentes sem maiores problemas”.

Com seu jeitinho todo especial de ser, não poderia faltar uma peculiaridade da raça. “Uma característica diferente do Pug é o seu latido, que pode se parecer muito com um ronco. Além disso, no intervalo entre latidos, ele solta grunhidos, como se estivesse engasgado. Porém, quando quer se comunicar com alguém, o som se torna mais agudo e longo”, descreve Dra. Mariana. Ou seja, não se assuste com os barulhos um tanto quanto “ogrinhos” dos Pugs.

Além de toda a fofura, seus pequeninos cérebros até que apresentaram uma performance regular nas avaliações de especialistas. A médica veterinária relata que, “de acordo com o livro Inteligência dos Cães, de Stanley Coren, o Pug está na 53ª posição entre as raças pesquisadas”.

Contudo, ela requer alguns cuidados específicos, já que os Pugs apresentam risco de hipertemia (não se dão bem com temperaturas altas), possuem olhos sensíveis por serem saltados, têm pouca resistência física, precisam de cuidados especiais com a pele, soltam bastante pelo, têm tendência a engordar e roncam bastante, como era de se esperar.

De maneira geral, é um cachorrinho tão tranquilo que dá vontade de criar uma matilha de Pugs. “É um cão carinhoso sem ser carente, inteligente, brincalhão e que se dá muito bem com outras pessoas e animais. Adoram um colo, são limpinhos, gostam de crianças e idosos e latem muito pouco”, frisa a médica veterinária.

Tem como não amar um serzinho desses?!

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.