Portal Melhores Amigos | Gato entediado: problemas da falta de estímulo
Um gato feliz precisa de estímulos de seu tutor e do ambiente.
1279
single,single-post,postid-1279,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Gato entediado: problemas da falta de estímulo

falta_estimulo_gato_problema

10 fev Gato entediado: problemas da falta de estímulo

Dificilmente, um gato se sentiria entediado na natureza, já que, em seu habitat natural, ele teria que estar em constante alerta para fugir de predadores, caçar seu próprio alimento e cuidar das crias, passando pela aventura diária que é viver no mundo “selvagem”.

Já os gatinhos domésticos têm uma vida bem mais facilitada, por assim dizer. A comidinha e água estão lá disponíveis para a hora que bater a fome, assim como as caminhas e casinhas estão sempre à vista para eles se refugiarem ou simplesmente tirarem suas sonecas. Tudo isso pode e deve ser provido ao seu pet, mas, além disso, é preciso estimular a movimentação do seu bichano para que o tédio não tome conta dele.

“Normalmente, os gatos são animais ativos (dependendo de sua idade e estado de saúde), com períodos prolongados de sono, o que pode acobertar problemas de saúde ou a falta de estímulos motivadores para interações”, relata Gelson Genaro, professor do Centro Universitário Barão de Mauá, de Ribeirão Preto, especialista em bem-estar felino.

Segundo Gelson, um gato se entedia pela falta de estímulos tanto de seu cuidador quanto do ambiente que ocupa, sendo que para “diagnosticar” o tédio devemos ficar atentos ao deslocamento do animal. “Quando acordado, o gato entediado pode apresentar pouco deslocamento, diminuição da autolimpeza, e as fezes e urina podem ser reduzidas em seu número de vezes (o volume deverá ser aproximadamente o mesmo), sintoma que pode acarretar problemas”, alerta.

Então, o que fazer se o tédio dominou seu bichano?

“A estimulação da atividade deste animal deverá ser intensificada, a limpeza dos pelos é uma sugestão, assim como brincadeiras e interações positivas. Alimentos que o animal aprecie poderão também ser alternativas interessantes para motivá-lo a interagir e aumentar sua movimentação”, indica Gelson.

Para estimular seu gatinho, também vale usar de recursos e outros itens que são simples para nós, mas que valem ouro no universo felino, como caixas de papelão, laser, catnip etc.

Mas fique de olho no seu bichano, pois o tédio pode ser a expressão de que algo não vai bem com ele. “Na natureza, os animais que apresentam indícios de algum problema podem ser, preferencialmente, predados. Por isso, ocultar sintomas e evitar a exposição de problemas provê maiores chances de um animal sobreviver no caso de apresentar alguma patologia. Portanto, devemos ficar atentos ao tédio, que pode ser o primeiro indício de problemas comportamentais ou mesmo de alguma outra patologia em seu estado inicial”, orienta o especialista.

 

 

Por: Paula Soncela
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.