Portal Melhores Amigos | Febre em gatos: causas, como evitar e como tratar
2989
single,single-post,postid-2989,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Febre em gatos: causas, como evitar e como tratar

gato-febre_DOMINIO-PUBLICO

04 jul Febre em gatos: causas, como evitar e como tratar

Um dia, seu gatinho brincalhão parece não estar mais com aquela bola toda: não quer papo, para de demonstrar a energia habitual e parece que está com algum incômodo. Você sabia que esses sinais podem indicar, entre outras coisas, que ele está com febre?

“Dá para saber que ele está febril quando fica quieto, para de brincar, apresenta-se com os pelos arrepiados, quando evita se alimentar como de costume, embora aumente a ingestão de água, passa a buscar locais sob as cobertas da caminha e, em casos mais severos, quando deixa de se limpar”, explica Cynthia Carpigiani, médica-veterinária e professora universitária.

Assim como os humanos, esses bichinhos podem ter febre por várias razões, como infecções virais ou bacterianas, gripes, resfriados, lesões, indigestões ou reações a algum medicamento.

Nos gatos, a temperatura normal fica entre 38ºC e 39,2ºC e a medição é feita com termômetros transretais ou de infravermelho. No primeiro caso, o ideal é que a mensuração seja realizada pelo médico-veterinário, já que, ao introduzir o termômetro no reto, o dono pode acabar lesionando o animal. Na segunda situação, o infravermelho deve ser direcionado para as orelhas dos felinos.

Se detectada a febre, Carpigiani afirma que uma medida simples pode ser tomada pelo dono imediatamente para tentar reduzir a temperatura do animal. “Em casa, podem ser feitas compressas nas patinhas do gato com água fria. Ele consegue esfriar seu corpo rapidamente quando temos este cuidado”, indica.

Remédios sem orientação médica, por sua vez, devem ser evitados, pois podem ocasionar outras complicações. “Um ponto importante a ressaltar é a sensibilidade dos gatos a diversos medicamentos, que podem causar desde uma gastrite até mudanças muito severas de comportamento”, afirma.

Desse modo, se o dono perceber que ele continua muito prostrado, quieto e desanimado a ponto de não se limpar, por exemplo, é importante procurar um especialista, já que os sintomas podem indicar um quadro mais severo.

*Cynthia Carpigiani faz atendimento domiciliar de florais, acupuntura e fitoterapia. Seu contato é cymacate@gmail.com.

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.