Portal Melhores Amigos | Encontrei uma serpente! Ela pode ser meu pet?
2887
single,single-post,postid-2887,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Encontrei uma serpente! Ela pode ser meu pet?

serpentes-quintal_DOMINIO-PUBLICO

30 mai Encontrei uma serpente! Ela pode ser meu pet?

Mesmo que você seja fã de répteis, existe uma maneira mais simples e segura de obter esse animal de estimação.

Se você já pensou em criar como animal de estimação uma serpente que possa ter encontrado no seu quintal, a resposta do especialista é categórica: não faça isso.

É o que recomenda Rodrigo Ferreira, médico-veterinário da Clínica ExotiCare. “Perante a lei, isso configura crime! Você está capturando e mantendo um animal silvestre sem qualquer autorização de um órgão ambiental”. Caso você se depare com algum animal potencialmente perigoso, como serpentes e outros répteis, o mais indicado é desviar seu caminho e evitar se aproximar. Se isso acontecer em sua residência, nos arredores ou em algum local que ofereça risco às pessoas, entre em contato com autoridades locais que possam recolher esse animal, como a polícia ambiental, o Ibama ou os bombeiros.

De forma geral, é desaconselhável o manuseio de serpentes. “Uma pessoa leiga pode acabar sofrendo ferimentos ou mesmo um acidente ofídico, isto é, a ‘picada’ de serpente peçonhenta. Ainda assim, caso o animal tenha sido capturado e alojado em algum recipiente à prova de fugas, ele pode ser levado diretamente ao Instituto Butantan (na capital paulista), Instituto Vital Brazil (na capital carioca) ou qualquer outro local de seu município que o receba, como centros de triagem de animais selvagens (CETAS), zoológicos municipais, mantenedores de fauna, polícia ambiental ou o Ibama”, recomenda Ferreira.

Serpentes possíveis de se manter como pets devem ser adquiridas diretamente em criadouros legalizados, assim como em alguns pet shops autorizados a comercializar animais silvestres. Lembrando que nossa legislação proíbe a venda desses animais quando peçonhentos. “E mesmo se permitida, temos de levar em conta vários fatores como o risco de acidentes ofídicos e de fugas, que podem causar acidentes com terceiros e com outros animais”, avalia o médico-veterinário. Segundo ele, se um dia a legislação brasileira permitir a criação de animais como cascavéis e jararacas, os tutores deveriam passar por um treinamento intensivo do manuseio.

De toda forma, em um país com vasta fauna e grande extensão, é comum encontrar animais em áreas rurais ou de mata. Por isso, talvez você se depare sim animais como cobras e teiús, um tipo de lagarto. “Os teiús da natureza tendem a ser pacíficos, se não forem incomodados e não tiverem seu espaço invadido. Quando o animal se sente ameaçado, pode atacar com mordidas poderosas que causam lesões mais graves”.

Da Redação
Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.