Portal Melhores Amigos | É possível ensinar o gato a atender pelo nome?
3782
single,single-post,postid-3782,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

É possível ensinar o gato a atender pelo nome?

james-sutton-705775-unsplash

19 set É possível ensinar o gato a atender pelo nome?

Você pode até achar que não, mas os gatos são adestráveis e podem aprender a responder pelo nome. Assim como os cães, o melhor caminho para conseguir ensinar algumas coisas a seu felino é pelo reforço positivo.

 

“Da mesma maneira que o cão conhece a palavra ‘passear’ o gato entende que, quando estamos dizendo seu nome, estamos chamando por ele –  explica a médica-veterinária Vanessa Zimbres, da clínica Gato é Gente Boa – mas em um primeiro momento, é importante que ele receba uma recompensa toda vez que atender ao chamado, seja um snack ou um carinho”.

 

O segredo está no fato de que o animal precisa entender que existe algo interessante no chamado. Ou seja, tem de haver um bom motivo no ponto de vista do felino. Dessa forma, esses animais podem aprender diversos comandos ou truques, desde que receba os estímulos adequados para isso. Mas atenção: “não adianta adestrar um gato para sair e passear de coleira peitoral, ou a fazer truques, se eu não me dedicar antes a ensiná-lo a urinar no local correto ou a não arranhar os móveis. O gato tem outras necessidades a serem satisfeitas, mais importantes a sua saúde do que aprender a fazer truques”.

 

“Qualquer ambiente onde vive um gato deve oferecer os recursos mínimos para seu bem-estar físico e mental – prossegue a veterinária – eles precisam ter, no mínimo, uma área de descanso, de preferência em um local alto onde se sinta seguro, área de eliminação com caixa de areia de tamanho e em quantidade adequada ao número de gatos, sem se esquecer que o tipo de areia e a frequência de limpeza são de extrema importância!”

 

Todavia, na hora de corrigir um comportamento inadequado, é importante evitar gritos ou punir fisicamente. Fazer com que o animal desenvolva medo ou aversão ao próprio tutor é exatamente o oposto de tudo que queremos. “É possível suprir com um pouco de dedicação, carinho e atenção as necessidades do gato, ensinar várias coisas, mas sempre negociando a sua atenção em troca de petiscos ou brincadeiras prazerosas para o felino”, diz Vanessa, cuja clínica recentemente recebeu a certificação internacional Cat Friendly Practice nível Gold da American Association of Feline Practitioners. Trata-se do nível máximo atingido por clínicas que trabalham de forma amigável aos gatos.

 

Curiosidade

Nós humanos nos comunicamos basicamente através da fala. Os gatos se comunicam principalmente através do olfato e por meio principalmente dos feromônios (hormônios). Dessa forma, é normal que tentemos nos comunicar com eles através da conversa!

 

Mais do que isso! Os gatos miam principalmente para humanos e não para outros gatos!

É observando nossa interação com eles e outras pessoas que aprendem que miar é uma boa ideia para chamar atenção. Entre eles, geralmente miam somente em situações como o cio ou antes de uma briga.  “É uma via de duas mãos. Eles nos condicionam a dar atenção, mas devemos evitar oferecer sempre algo para comer. Ele pode estar querendo brincar. Ensinar a ele que chamar é garantia de alimento pode tornar o animal obeso, o que traz riscos à saúde”.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.