Portal Melhores Amigos | Conheça as características mais marcantes do labrador
4784
single,single-post,postid-4784,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Conheça as características mais marcantes do labrador

12_Jan

15 dez Conheça as características mais marcantes do labrador

Eles são protagonistas de uma simpatia e chamam atenção por onde passam. Divertidos e companheiros, a fofura é apenas a ponta do iceberg de tantas qualidades do labrador retriever, mais conhecido como labrador.

Fiéis, dóceis, carinhosos e sociáveis são, sem dúvida, as características mais marcantes do labrador e o cão não deve apresentar nenhum traço de agressividade, explica Guilherme Noronha, vice-coordenador do Conselho Brasileiro da Raça Labrador Retriever da CBKC e médico veterinário.

Aos tutores interessados em criar a raça, é importante que procure criadores responsáveis que façam o controle das principais doenças genéticas. “Eles são bem resistentes à doenças, mas é importante ficar atento à prevenção da obesidade, que é comum na raça. Além disso, o cuidado se estende também às doenças genéticas, dentre elas: Displasia Coxofemoral, Displasia de Cotovelo, Atrofia Retiniana Progressiva (PRA), Síndrome do Colapso induzido pelo Exercício (EIC)”, aponta o médico veterinário.

A raça mais criada do mundo

A adaptação do labrador é impressionante, podendo viver nas mais variadas situações. A necessidade de agradar o tutor a qualquer custo faz com que a raça seja a mais criada do mundo, de acordo com Noronha.

A inteligência do cão pode também ajudar muitas pessoas. A facilidade de adaptação e aprendizado rápido fazem com que ele seja o número um na escolha para cão-guia. “Além de ser uma raça rústica com saúde resistente, o labrador tem uma necessidade de agradar o dono, e isso facilita o treinamento e o dia-a-dia como cão-guia”, acrescenta.
É possível criar um labrador em apartamento?

A facilidade de adaptação dita tantas vezes é o principal fator para aliviar tutores que moram apartamento e consideram criar um labrador. “Apesar de serem de médio ou grande porte, se o proprietário tiver disponibilidade para passeios diários para gastar energia, a criação é viável”, explica Noronha.

O importante é ter tempo e paciência para ensinar, desde filhote, os comportamentos desejados dentro do ambiente em que ele vai viver. São poucas semanas que serão gastas para uma vida tranquila e feliz com o cão.

Como cuidar?

Os cuidados começam na escolha do criador. “É imprescindível buscar informações sobre a procedência do animal, se o canil está devidamente cadastrado na Confederação Brasileira de Cinofilia, exigindo o Pedigree CBKC. O documento é o RG do cão”, alerta o veterinário.

A rotina alimentar precisa ser orientada por um profissional. “Quando filhote, por exemplo, ele precisa de nutrientes específicos. Uma ração super premium de qualidade é sempre preferível”, acrescenta.

As atividades dependem também da fase em que o cão está. Quando filhote, brincadeiras são necessárias, mas sem forçar muito. Já adulto, qualquer atividade junto com seu proprietário pode ser estimulada e será bem aceita pelo animal, como caminhadas, corridas e natação.

A raça é muito limpa e não costuma ter cheiro forte, então, um banho por mês já é mais que o suficiente. “Assim como criar qualquer animal doméstico, é obrigatório deixar no calendário um tempo para visitas periódicas ao veterinário para realização das vacinações, exames preventivos e acompanhamento do desenvolvimento do seu melhor amigo”, conclui.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.