Portal Melhores Amigos | Como evitar que crianças e cães se machuquem?
3258
single,single-post,postid-3258,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Como evitar que crianças e cães se machuquem?

cao-criancas

16 out Como evitar que crianças e cães se machuquem?

 

Ter crianças e animais em uma mesma casa pode ser sinônimo de diversão, mas também exige muito cuidado. Isso porque alguns minutos de descuido podem ser suficientes para que seu filho machuque o cão, ou o contrário. Mas qual é o segredo para manter uma convivência pacífica? Entre os adestradores, a primeira dica é nunca deixar os pequenos e os cães sozinhos no mesmo local.

 

“As crianças e os pets se beneficiam muito com o convívio em família. Os animais vão ver na criança um pequeno ser praticamente incansável para brincadeiras. E a criança aprende a interagir com um outro ser, a ter responsabilidade e a cuidar dessa vidinha peluda”, diz Heidy Valéria Schneider, franqueada e adestradora da Cão Cidadão.

 

Apesar dos benefícios para ambos nessa interação, a adestradora diz que as brincadeiras devem sempre ser supervisionadas, mesmo que o cão seja conhecido da família. “Toda interação deve ser observada de perto por um adulto, independentemente do temperamento do animal. Entretanto, animais dóceis e bem sociabilizados adoram brincar com crianças, indiferente de qual raça eles pertencem”, explica.

 

De acordo com a adestradora, cães de pequeno porte podem significar risco menor às crianças, pois seus movimentos geralmente são mais delicados que o dos grandões, mas essa regra não se aplica do mesmo modo a todos. “Os peludos pequenos são mais sensíveis e podem se incomodar mais com apertões que as mãozinhas podem dar”, diz.

 

Por isso, a atenção deve ser redobrada quando as crianças encontram cães reativos ou agressivos, além de animais que não costumam conviver com os pequenos. “Animais que ficam possessivos com objetos ou que têm ciúme de pessoas podem gerar um risco muito grande”, acrescenta.

 

Do mesmo modo, animais aparentemente calmos podem reagir de forma negativa ao presenciar crianças correndo e gritando no mesmo ambiente. Nesses casos, é importante sempre manter a criança por perto e o animal na coleira.

 

 

 

“Mesmo no caso de a criança estar fazendo algo sem maldade – por exemplo, como dar um abraço apertado – o animal, não gostando, vai reagir como é natural a ele, ou seja, mordendo. Infelizmente, a maioria das mordidas acabam sendo no rosto de crianças”, diz.

 

Outro ponto importante é mostrar aos pequenos como lidar com amor e respeito com os animais. “A criança deve, desde pequena, ser ensinada a não bater e nem jogar objetos no cão, assim como não deve persegui-lo quando o mesmo estiver dormindo, entocado ou fugindo. Ela imita comportamentos de adultos, por isso precisamos demonstrar como deve ser feito carinho ou como brincamos com o animal”, diz franqueada do Cão Cidadão.

 

Para estreitar a relação entre os dois, ela recomenda a brincadeira de jogar uma bolinha, que costuma agradar pets e crianças. Heidy alerta, no entanto, que o brinquedo nunca deve ser tirado da boca do cão. “Devemos pedir que o animal solte a bola, a criança pega e, então, a joga”, explica.

 

Outras atividades que podem ser divertidas para ambos é levar o cão para passear ou realizar pequenos treinos de comandos. Em caso de dúvida ou problema específico, vale a pena procurar um adestrador. “Quando ensinamos as crianças a tratarem com amor seu cãozinho, temos grandes chances de eles serem melhores amigos para toda a vida”, diz a franqueada.

 

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.