Portal Melhores Amigos | Aves em pé de guerra: como restaurar a paz entre os pets
584
single,single-post,postid-584,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Aves em pé de guerra: como restaurar a paz entre os pets

aves_briga_gaiola_2506

25 jun Aves em pé de guerra: como restaurar a paz entre os pets

Pássaros, no geral, são animais tranquilos, mas certas situações podem causar desconforto e brigas. Por isso, se a gaiola virar uma zona de guerra, você deve agir o mais rápido possível para restaurar a paz entre as aves.

A principal razão é a disputa por território, que ocorre mais com machos, mas também pode atingir fêmeas dominantes. Antes de colocar um novo morador no viveiro, mantenha o novato em uma gaiola ao lado, para que as aves possam se ver. Uma boa opção é investir em gaiolas criadeiras, que já vêm com uma divisória removível e também são indicadas para quem quer juntar um casal específico.

O período reprodutivo também pode causar conflitos. Caso um casal tenha se formado, separe-o do restante das aves. Os pares preferem ficar sozinhos e evitar o estresse da convivência com outros pássaros, especialmente se houver outros interessados em um dos pombinhos.

Se você deseja adquirir mais de um casal, deve garantir ninhos suficientes para todos. O ideal é ter 50% de ninhos a mais do que os pares de aves. Se houver, por exemplo, quatro casais, instale seis ninhos. Isso deve ser feito para evitar confrontos entre duas ou mais fêmeas que queiram o mesmo espaço. Outro item importante é deixá-los todos na mesma altura, pois elas disputarão os ninhos mais altos, como forma de mostrar dominância.

Além dos ninhos, os casais poderão disputar comida e água. Assim, garanta que o alimento fique em comedouros amplos e em um mesmo local de fácil acesso a todos os pássaros.

Como cada ave é um indivíduo com personalidade própria, não há como prever exatamente o período de adaptação, portanto, o dono deve acompanhar o entrosamento dos pets bem de perto.

 

 

 

 

Por: Paula Saldanha
Nenhum Comentário

Postar um comentário