Portal Melhores Amigos | Alimentação completa garante a saúde e o bem estar de cães e gatos
3553
single,single-post,postid-3553,single-format-standard,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-1.0,wpb-js-composer js-comp-ver-4.3.5,vc_responsive

Alimentação completa garante a saúde e o bem estar de cães e gatos

friends-1149841_1920

25 abr Alimentação completa garante a saúde e o bem estar de cães e gatos

Há uma citação famosa do professor de Nutrição Veterinária da universidade francesa de Alfort, Dominique Grandjean: “o responsável pela domesticação do cão e do gato, o homem, tem o dever de alimentá-los de acordo com as suas verdadeiras necessidades específicas, e não em função das suas projeções humanas. Esta é a primeira regra do verdadeiro respeito ao animal”.

A alimentação dos nossos pets deve garantir que tenham saúde e uma boa qualidade de vida. Por isso, devemos estar atentos ao produto que adquirimos. Alimentar um cão por longo tempo com alimento para gatos ou vice-versa, mesmo que usemos ração de boa qualidade, pode causar problemas sérios de saúde no animal. Isso porque cada um tem suas características e necessidades. Deve-se usar as “rações” destinadas a cada animal, especificamente.

Isso porque há diferenças consideráveis quando se trata do metabolismo dos gatos e cães domésticos. Isso devido às adaptações que cada um desenvolveu ao longo do processo de domesticação. Cachorros são considerados carnívoros oportunistas, já os gatos são carnívoros estritos, ingerindo alguns poucos vegetais para ajudar o funcionamento do intestino, mas sem que sejam digeridos. Eles precisam de altos índices de proteína.

Esse equilíbrio é encontrado nas rações para cães e gatos. São alimentos completos, que atendem as necessidades de cada um desses animais. Além disso, o mercado oferece algumas variações que também são importantes, como alimentos para filhotes, para animais castrados e para aqueles velhinhos, que já têm dificuldade em digerir algumas comidas.

 

Diferenças na digestão

Os sistemas de digestão dos carnívoros são bem mais simples, curtos e bastante ácidos, explica o médico-veterinário Ricardo Gardim, da Clínica Veterinária Hungária, em São José dos Campos.Comparando com plantas, digerir carne e gordura é tarefa fácil, que dispensa um aparato sofisticado. O estômago desses animais é extremamente ácido, atingindo um pH de 1 a 2 (o pH do nosso, para efeito de comparação, fica entre 4 e 5). Isso porque a acidez ajuda a quebrar proteína e destrói bactérias, abundantes na comida dos carnívoros: carcaças vivas ou em decomposição.

Dentes longos e afiados, apropriados para perfurar a carcaça e rasgar carne, e não para macerar plantas e grãos cereais. Os molares inferiores e superiores possuem forma de triângulo com bordas serrilhadas que se fecham como as lâminas de uma tesoura quando o animal morde a caça.

Uma enorme abertura oral (pense num gato bocejando) e articulação mandibular que permite somente movimento vertical (de abre-e-fecha), sem capacidade de mastigação lateralizada (como a vaca mastigando capim). Tudo para conseguir engolir sem mastigar grandes nacos de carne. Entendeu por que seu cão come tão rápido?.

Ausência da enzima amilase na saliva, aquela que dá início à digestão do carboidrato. Por que a natureza gastaria tempo e energia equipando cães e gatos com essa enzima se eles não foram feitos para mastigar bem direitinho os alimentos e, principalmente, se não vão comer plantas?

Como pudemos ver acima, uma série de adaptações evolutivas, refletidas em aspectos anatômicos, claramente separam cães e gatos de onívoros clássicos, como o porco e o rato, e definitivamente não há como confundi-los com herbívoros, como o boi e o cavalo. Nossos cães e gatos evoluíram para consumir uma dieta predominantemente carnívora.

Nenhum Comentário

Sorry, the comment form is closed at this time.